Petronas avança no mercado brasileiro

A Petronas, estatal da Malásia destacada como um dos maiores conglomerados de petróleo e gás do mundo, está expandindo suas atividades no Brasil e na América Latina. Para dar continuidade à sua estratégia de crescimento no país, o grupo investirá R$ 330 milhões até 2017 para aumentar ainda mais a capacidade produtiva da fábrica de Contagem (MG) – onde fabrica lubrificantes, graxas e outros fluidos -, melhorar o sistema de logística, ampliar os centros de distribuição e os escritórios regionais.

Com grande foco no segmento de lubrificantes, a Petronas concluiu no início de 2013 a expansão da sua fábrica de Contagem, duplicando a área produtiva de 35 mil m2 para 72 mil m2 e aumentando a capacidade de produção de 120 milhões para 220 milhões de litros por ano. “A expansão física da fábrica de Contagem nos oferece um conforto muito grande para atendermos à demanda do mercado interno e também dos mercados internacionais”, afirma Luiz Sabatino, diretor de estratégia e marketing da Petronas na América Latina.

Em 2014, apesar de ter registrado uma retração de 2,2% na quantidade de lubrificantes comercializados no mercado brasileiro, a Petronas conseguiu aumentar em 2,9% o volume de produção deste produto, garantindo um impacto positivo no seu market share que atingiu 9,8%. Com este resultado a companhia conseguiu dar continuidade à sua trajetória de crescimento pelo terceiro ano consecutivo se posicionando em terceiro lugar no mercado brasileiro, atrás da Petrobras, que é líder de mercado, e da Shell.  “Estamos trabalhando de forma incisiva na divulgação e fortalecimento da marca Petronas no Brasil e nos países da América Latina com a veiculação de anúncios em rádios e nos principais veículos de mídia imprensa, além de participar de importantes feiras e eventos de cada região”, declara Sabatino.

No mercado brasileiro a Petronas comercializa seus lubrificantes por meio da venda direta às montadoras de veículos – faz o primeiro enchimento dos motores dos carros da Fiat – e pelos revendedores de óleo e lubrificante. Para dar suporte a este negócio, a empresa mantém uma equipe própria de vendas e trabalha com grandes distribuidores espalhados pelo Brasil. “A distribuição dos produtos é feita por transporte rodoviário em todo o território brasileiro e nos países da América Latina”, esclarece o diretor.

Além do centro de distribuição em Contagem, a Petronas possui mais três CDs em locais estratégicos, como em Atibaia (SP), São José dos Pinhais (PR) e Recife (PE), para reduzir o tempo e o custo de entrega dos produtos aos clientes. “Temos contrato com 16 transportadoras que fazem a distribuição dos nossos produtos no mercado brasileiro e nos países da América Latina”, explica Sabatino.

No mercado latino-americano a Petronas Brasil comercializa o Etro, óleo básico do Grupo III de altíssima qualidade, que é produzido na fábrica de Melaka, na Malásia. O Etro é utilizado como matéria-prima na fabricação de lubrificantes e comercializado para outros fabricantes de lubrificantes em todo o mundo. Os óleos básicos do Grupo III  são utilizados na maioria dos óleos de motor sintético de primeira linha. “Além do Etro, também importamos da fábrica na Itália os produtos Syntium Racer e Syntium 5000AV para comercialização na América Latina”, diz o diretor.

Perfil – A Petronas, abreviação de Petroliam Nasional Berhad, é a empresa estatal de petróleo e gás da Malásia. Foi fundada em 14 de agosto de 1974 e está presente em mais de 31 países, atuando em vários ramos da indústria do petróleo desde a produção e a exploração até o refino passando pela distribuição.

A empresa construiu como sede as Petronas Towers, dois dos maiores arranha-céus do mundo. Na área esportiva atua como patrocinadora da equipe de Fórmula 1 Mercedes Grand Prix.

No Brasil a Petronas chegou em 2007 por meio da aquisição da FL, divisão de lubrificantes da Fiat. “A decisão de entrar naquele ano no Brasil ocorreu porque o grupo FL Selènia possuía presença expressiva nos mercados brasileiro e europeu e a estratégia global da empresa era o crescimento nestes mercados e na América Latina”, afirma Sabatino.

Atualmente o Brasil é considerado o terceiro maior mercado para a Petronas, atrás somente da China e dos Estados Unidos, e a companhia emprega 340 funcionários no país.

Veja também

Por