BR Aviation adquire novos caminhões-tanque

Caminhão-tanque da BR Aviation abastecendo avião no aeroporto

A BR Aviation, divisão da Petrobras Distribuidora que trata da distribuição de combustível para o segmento de aviação, está investindo na aquisição de novos caminhões-tanque para expandir sua frota de veículos abastecedores. O objetivo é ampliar sua cobertura de serviços realizados em 111 aeroportos para 150 pontos de fornecimento de combustíveis até 2018.

Com esse foco, a companhia planeja adquirir, somente neste ano, 59 novos caminhões-tanque que vão se somar aos 150 novos caminhões-tanque, adquiridos no período de 2012 a 2014. A escolha foi por caminhões Mercedes-Benz (126 unidades) e Iveco (24 veículos). A companhia investiu cerca de R$ 110 milhões na aquisição desses novos veículos.

Atualmente a BR Aviation tem uma frota de mais de 600 caminhões-tanque que são usados unicamente para o abastecimento de aeronaves nos aeroportos e não podem circular em vias públicas. A companhia realiza cerca de 3 mil abastecimentos diários de aeronaves.

Segundo Erica Saião, gerente-executiva da BR Aviation, a Petrobras Distribuidora possui atualmente um market share de 57% no mercado de aviação e abastece as principais companhias aéreas nacionais e estrangeiras que voam no Brasil. Entre elas, estão GOL, Azul, TAM, Avianca, American Airlines, Air France e TAP.

Com exceção dos aeroportos de Guarulhos (Aeroporto Internacional de São Paulo) e Galeão (Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro), onde o recebimento de combustíveis de aviação é feito por dutos que ligam os aeroportos diretamente às refinarias da Petrobras, nos demais aeroportos a logística de suprimento da BR Aviation/Petrobras Distribuidora é feita através de caminhões-tanque. Neste caso, caminhões são carregados nas bases ou terminais e transportam o combustível de aviação até os aeroportos. “Na chegada, antes do recebimento, é feito o controle de qualidade do combustível. Somente então ele é descarregado no parque de abastecimento de aeronaves. A logística de armazenagem se baseia no estoque mínimo para atendimento da demanda e no tempo de ressuprimento”, explica Erica.

“A logística de abastecimento é diferente para cada aeroporto, pois o número de operações de pousos e decolagens por hora é um dos fatores que contribuem para o planejamento das operações da BR Aviation”, acrescenta a executiva.

 

Veja também

Por