FPT mantém na Argentina a área de usinagem

A FPT Industrial transferiu para a sua fábrica de Córdoba, na Argentina, a atividade de usinagem do bloco e do cabeçote do motor, que anteriormente era executada pela unidade francesa em Bourbon-Lancy.

O objetivo de manter desde o final do ano passado a área de usinagem em Córdoba, segundo a FPT, é melhorar os processos logísticos e fortalecer a origem e a qualidade dos produtos da FPT Industrial na América Latina. Para a operação desta linha, foram adquiridos equipamentos específicos para montar o cabeçote e o bloco do motor, como lavadoras de alta pressão (que tiram as impurezas do bloco e do cabeçote antes da montagem final) e equipamentos de teste e de medição (responsáveis pela verificação dimensional, que avalia se o tamanho e a espessura dos motores estão de acordo com as especificações do projeto do produto).

Em Córdoba são produzidos atualmente motores com a tecnologia de alta pressão (que retira as impurezas dos componentes internos), o que possibilita que, na última etapa da operação da usinagem, o acabamento do motor seja feito sem que seja necessário girar o bloco completo. Isso, segundo a FPT, representa uma vantagem operacional frente à concorrência.

“Com a transferência, houve alterações e melhorias em toda a cadeia de produção trazida pela usinagem interna, além da prática de gestão mais eficiente na fábrica de Córdoba”, afirma Izidro Penatti, diretor da fábrica de Sete Lagoas (MG) da FPT Industrial na América Latina.

Inaugurada em 2012, a fábrica de Córdoba, produz atualmente os motores da família Cursor – o Cursor 9 e Cursor 13 – que equipa caminhões pesados e extrapesados. A versão mais potente é o Cursor 13 de 560 cv de potência com aftercooler e seis cilindros em linha. Esta fábrica emprega mais de 300 pessoas e, para atender ao novo processo interno, foram contratados cerca de 40 funcionários diretos e indiretos.

 

 

Veja também

Por