Aviões da Embraer na mira da China

Avião E-195 da Embraer decolando

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), fechou um acordo para financiamento de exportações de 40 aviões E-195, da Embraer, para o grupo chinês Hainan, no valor de até US$ 1,3 bilhão.  O acordo foi firmado entre o BNDES, o China Exim e o Hainan, em Brasília, e faz parte da série de atos assinados no início desta semana no Palácio do Planalto, durante a visita oficial do primeiro-ministro da China, Li Keqiang, à presidente Dilma Rousseff.

Este foi o primeiro acordo de financiamento do BNDES para exportações de aeronaves brasileiras com a China e envolverá, na etapa inicial, até dez aeronaves no período entre 2016 e 2017.

Além do presidente do BNDES, Luciano Coutinho, participaram da cerimônia de assinatura, que ocorreu na presença da presidente Dilma e do primeiro ministro chinês, a CEO do China Exim, HU Xiaolian, o CEO do grupo Hainan, ao qual pertence a operadora das aeronaves a serem adquiridas, CHEN Feng, e o diretor financeiro da Embraer, José Antonio Fillipo.

Esta é a primeira ação concreta decorrente do Memorando de Entendimentos firmado em julho do ano passado entre o BNDES e o China Exim por ocasião da visita do Presidente XI Jinping ao Brasil.

Venda de 22 aeronaves

A Embraer e a Tianjin Airlines, da China, subsidiária do grupo HNA, também assinaram acordo final para a venda de 22 aeronaves. O contrato, com valor estimado de US$ 1,1 bilhão, envolve 20 E195 e dois E190-E2 e tornou o grupo HNA Tianjin Airlines a primeira companhia aérea chinesa a adquirir os E-Jets E2. O acordo entre as duas empresas para 40 aviões havia sido anunciado em julho de 2014, durante visita do presidente chinês Xi Jinping ao Brasil. Segundo comunicado da Embraer, os 18 jatos E190-E2 restantes farão parte de uma segunda aprovação das autoridades chinesas, em fase posterior.

A previsão é de que o primeiro E195 será entregue em 2015, e o primeiro E190-E2 em 2018. Este pedido será incorporado à carteira de pedidos firmes (backlog) da Embraer do segundo trimestre de 2015. A Tianjin Airlines é atualmente a operadora com a maior frota de E-Jets na Ásia.

“Estamos honrados em confirmar este novo pedido do nosso maior cliente na Ásia”, disse Paulo Cesar Silva, presidente e CEO da Embraer Aviação Comercial. “A China está crescendo muito rapidamente e há necessidade de jatos narrow-body menores para apoiar operações de alimentação de tráfego em grandes aeroportos (denominadas hub and spoke), complementando operações de aeronaves narrow-body maiores. Assim, proporciona-se um equilíbrio ideal entre frequência e disponibilidade de assentos, incentivando o desenvolvimento de novos mercados com menor risco e capacidade incremental – o que gera uma demanda significativa para novas aeronaves nesta categoria.”

“Uma vez que o número de passageiros está crescendo na China, estes E195 serão muito importantes para apoiar a estratégia da Tianjin Airlines visando atender a essa demanda”, disse Du Xiaoping, presidente da Tianjin Airlines. “Estamos muito satisfeitos com os jatos E190 que estão atualmente em operação e temos certeza que os novos aviões nos permitirão alcançar nossos objetivos de desenvolvimento.”

A Tianjin foi o cliente-lançador do E190 na China e opera a maior frota de E-Jets na Ásia, com 50 jatos E190. Também foi a primeira empresa chinesa apontada como Centro de Serviço Autorizado pela Embraer no país. Recentemente, a companhia aérea anunciou a contratação do Embraer AHEAD-PRO para todas suas aeronaves, tornando-se o primeiro usuário desse sistema na China. A empresa opera uma frota de aproximadamente 80 jatos que servem 100 destinos domésticos e internacionais, transportando mais de dez milhões de passageiros.

Veja também

Por