Transatlânticos retornam a Liverpool, na Inglaterra

Três transatlânticos em alto mar

Mais de um milhão de pessoas se reuniram para assistir à chegada de três dos maiores transatlânticos do mundo, o Queen Mary 2, o Queen Elizabeth e o Queen Victoria, que fizeram uma visita histórica a Liverpool, na Inglaterra, para comemorar a o 175º aniversário da Cunard, empresa proprietária das embarcações. É a primeira vez que esses navios icônicos estiveram juntos em Liverpool.

As comemorações incluíram um “balé aquático” onde as embarcações, conhecidas também como “Três Rainhas” realizaram, simultaneamente, uma manobra de 180 graus em frente ao edifício da Cunard, um dos famosos ‘Three Graces’ – um trio de edifícios históricos à beira-mar que constam como patrimônio mundial da Unesco, em Liverpool. A ocasião foi acompanhada por um show de projeção de luz digital, com queima de fogos e uma flotilha de barcos pequenos. O evento terminou com uma apresentação musical especial para se despedir do Queen Victoria.

O Queen Mary 2, carro-chefe da frota, entrou em operação em 2004 e era o maior navio e com a maior capacidade de passageiros naquele ano. Seu custo de construção alcançou £550 milhões. Em julho, a embarcação retornará a Liverpool, de onde partirá para um cruzeiro transatlântico que recria o primeiro cruzeiro Cunard, cujo roteiro incluiu passagens por Halifax, Boston e Nova York. O navio alcança uma velocidade máxima de pouco mais de 30 nós (56 km/h) e uma velocidade de cruzeiro de 26 nós (48 km/h).

A dinastia Cunard revolucionou a viagem transatlântica no século 19. Fundada em Liverpool, em 1840, por Samuel Cunard, um empresário canadense que ganhou o primeiro contrato britânico de navio a vapor para entregar correio através do Atlântico, a companhia começou a receber passageiros e cresceu rapidamente. Em 30 anos, empregava 11.500 pessoas e tinha acumulado uma frota de 46 navios.

Em 2012, o porto de Liverpool foi nomeado pelo jornal de indústria Containerisation International como a autoridade portuária do ano em reconhecimento ao seu progresso e abordagem inovadora “além dos limites portuários”.

Mark Whitworth, diretor-executivo da Peel Ports, destacou que a cidade de Liverpool tem um importante patrimônio em transporte, com fortes ligações a destinos ao redor do globo, e disse que a Peel Ports está empenhada em dar continuidade a esse legado, investindo em desenvolvimento e em novas instalações nos portos. “Com isso, não só buscamos desenvolver o mercado de linha de cruzeiro de passageiros, mas também expandir, significativamente, as oportunidades de comércio internacional para importadores e exportadores no centro e ao norte do Reino Unido”, acrescentou.

Veja também

Por