VLI aperfeiçoa o sistema de controle de locomotivas

A VLI, empresa especializada em operações logísticas que integram ferrovias, portos e terminais, contabiliza os primeiros resultados positivos com a adoção de uma nova estratégia para monitorar os indicadores de confiabilidade das locomotivas da sua frota. Desde o segundo semestre do ano passado, o Centro de Tomada de Decisões (CTD) reúne informações para realizar análises em tempo real ainda mais assertivas sobre o desempenho das máquinas. O CTD atua em conjunto com o Centro de Controle Operacional (CCO) da VLI, que é responsável por determinar o ritmo da circulação de trens nos 8 mil quilômetros de malha ferroviária administrada pela companhia. Segundo a empresa, a integração das áreas com as equipes de manutenção em campo permitiu uma redução de 30% na quantidade de falhas identificadas nos indicadores de confiabilidade das locomotivas na comparação entre janeiro e maio deste ano com o mesmo período de 2014.

Esse trabalho da área de engenharia é realizado por 16 profissionais e tem o objetivo de reforçar a segurança operacional e a produtividade no transporte das cargas. Os técnicos monitoram parâmetros das locomotivas que trafegam pelos cinco corredores logísticos da VLI. Os dados coletados em ferramentas disponibilizadas pelos fabricantes são analisados e as informações repassadas pelos maquinistas por meio de mensagens de texto enviadas no sistema conhecido como macro, que funciona via satélite. A partir dessas avaliações, é possível tomar decisões mais rápidas e eficazes diante de qualquer circunstância identificada nas ferrovias Centro-Atlântica (FCA) e Norte Sul (FNS), controladas pela companhia.

“Antes da criação do CTD, os profissionais que trabalham em campo precisavam conciliar as análises referentes à circulação de trens com a programação diária de atividades nas oficinas. Agora, a nova área é responsável por centralizar os dados sobre as locomotivas em operação e avaliar a tomada de decisões com base nessas informações. Assim, conseguimos diminuir possíveis impactos na circulação das composições férreas em caso de avarias”, explica Junior Froes, gerente de planejamento e controle da manutenção da VLI.

Neste ano, o CTD pretende ampliar o trabalho de monitoramento remoto por meio da consolidação de novos processos e ferramentas. O objetivo da área é desenvolver mecanismos para acompanhar ainda mais de perto a saúde das locomotivas, auxiliando no diagnóstico de indícios que possam ajudar a prevenir a ocorrência de problemas mecânicos nas operações ferroviárias. Além disso, os técnicos planejam aplicar tecnologias similares para alcançar a mesma eficiência no acompanhamento da frota de vagões.

 

Veja também

Por