Semestre fecha em queda de 31,5% na produção de carrocerias de ônibus

O semestre fechou com uma queda de 31,5% na produção de carrocerias para ônibus, com 9.332 unidades fabricadas entre janeiro e junho de 2015, frente a 13.626 feitas em igual período de 2014. As exportações também sofreram retração, porém menor, de 6,16%, com 1.537 vendas ao exterior nos primeiros seis meses do ano, ante 1.638 registradas na mesma época de 2014.

O maior índice de queda de produção entre as sete indústrias de carrocerias do país que são membros da Associação Nacional dos Fabricantes de Ônibus (Fabus) – Marcopolo, Marcopolo Rio, Comil, Caio Induscar, Irizar, Neobus e Mascarello – foi registrado pela Caio Induscar, de 46,9% no volume fabricado, que baixou de 3.961 unidades produzidas entre janeiro e junho do ano passado para 2.103 carrocerias feitas no mesmo período deste ano.

Em seguida, no levantamento da Fabus, aparece a Neobus, com produção de 1.160 carrocerias no primeiro semestre deste ano, uma baixa de 29,5% sobre o total feito de janeiro a junho de 2014 (1.647 unidades). A produção da Mascarello diminuiu 28,5% na comparação dos períodos, com 1.035 carros produzidos no primeiro semestre do ano, frente a 1.449 registrados em igual época do ano passado.

A Comil teve retração de 27,1% no resultado de suas linhas de produção, encolhendo de 1.454 carrocerias produzidas entre janeiro e junho de 2014 para 1059 unidades feitas no primeiro semestre de 2015.

A maior encarroçadora do mercado nacional, a Marcopolo, registrou queda de 23% (Marcopolo+Marcopolo Rio) em uma produção acumulada, entre janeiro e junho de 2015, de 3.708 unidades, frente a 4.819 feitas em igual período de 2014. A menor queda foi sentida pela Irizar, fabricante de ônibus rodoviários, que produziu 267 veículos em 2015, uma retração de 9,8% em relação ao primeiro semestre do ano passado.

 

Veja também

Por