Transporte refrigerado: a chave para o negócio de sucesso

Marcelo Nicioli - Thermo King_

Marcelo Nicioli*

A temperatura é uma característica fundamental para o equilíbrio de qualquer ecossistema. O corpo humano, por exemplo, tem uma margem de temperatura muito específica, entre 36,5° Celsius e 37,5° Celsius, e o impacto pode ser fatal todas as vezes que estiver fora deste intervalo. As temperaturas do planeta, por sua vez, podem chegar a – 90ºCelsius, mas mesmo assim o equilíbrio da terra é alcançado, graças aos vários organismos que nela habitam.

A temperatura é o fator crítico associado à gestão da cadeia do frio. A capacidade de controlar a temperatura máxima e mínima faz a diferença entre as empresas que oferecem qualidade e aquelas que simplesmente dependem de fatores externos. No setor produtivo, liderado pelo agrícola, pesqueiro e farmacêutico, o frescor faz muita diferença. Enquanto a correta gestão da cadeia do frio é a solução simples para garantir esse frescor, o processo para alcançá-la pode ser tão complexo que poucos conseguem ter sucesso.

Não importa se é um caminhão, vagão de trem ou contêiner para transporte marítimo: manter cada um desses pequenos ecossistemas com climatização adequada é sinônimo de qualidade. O desafio é estar informado sobre as melhores práticas para alcançar uma cadeia do frio eficiente, especialmente no que diz respeito a aspectos como o conforto, confiabilidade e desempenho no mercado.

Como a temperatura ideal é alcançada?

Alcançar a temperatura ideal envolve detalhes que nem todas as empresas podem oferecer.  O custo operacional é a primeira coisa a se observar, seguido da quantidade de combustível, consumo de energia e infraestrutura para auxiliar a tecnologia de ponta. As velhas práticas de preservação do frescor, como a combinação rústica de sal e gelo, são coisas do passado.

Hoje, a indústria de alimentos congelados distribui para grandes supermercados e restaurantes em qualquer latitude, e isso é possível graças à tecnologia e desenvolvimento da infraestrutura da cadeia do frio, que gera diversos benefícios como economia de manutenção, controle preciso da temperatura dos produtos durante toda a viagem, bem como o desempenho eficiente e silencioso das soluções de refrigeração.

Apostar em todos os fatores

Quando uma empresa está apostando em sistemas de controle de temperatura, também está apostando em melhores processos, melhor tecnologia, novas tendências e uma melhor preparação para enfrentar os desafios que implicam em ter uma cadeia de suprimentos mais forte e competitiva.

Em fatores administrativos, por exemplo, o aumento da produtividade dos recursos humanos faz a diferença. Em termos de operações, a tecnologia, as certificações e até mesmo a eficiência serão os valores mais significativos. Quando se trata de engenharia, os valores agregados serão os próprios sistemas de refrigeração e infraestrutura.

Treinamento, normas e certificação de pessoal também são elementos críticos para a cadeia logística e, mais especialmente, para a cadeia do frio. Quando combinados com o transporte refrigerado ideal, esses fatores ajudam a garantir que o produto cumpra as exigências do usuário final em termos de textura, cheiro e cor.

É fundamental monitorar todos os aspectos da cadeia do frio para que o sistema de transporte refrigerado não seja dependente de fatores como clima, umidade, níveis de poluição ambiental, radiação solar ou infraestrutura logística das estradas.

 

*Marcelo Nicioli é gerente de produtos Truck &Trailer da Thermo King

 

 

 

 

Veja também

Por