As ambulâncias que cruzam os céus

O translado ou remoção de doentes graves por meio de aeronaves de asa fixa ou rotativa (avião ou helicóptero), conhecido como transporte aeromédico, ganhou destaque no final do ano passado. Um dos sobreviventes do grave acidente aéreo com a equipe da Chapecoense, o goleiro Jackson Folmann, voltou para o Brasil da cidade de Medellín, na Colômbia, após quase dez horas de voo em um avião UTI da Amil Resgate.

Pioneiro na américa latina, o Amil Resgate Saúde foi escolhido por oferecer praticamente a mesma estrutura utilizada em hospitais para um tratamento mais intensivo.

Na época de sua fundação, a Amil comprou helicópteros Esquilo AS-350-B2, modelo francês recém-lançado naquele período, e duas ambulâncias terrestres, verdadeiras UTIs móveis. Em  1994,  com a necessidade de expandir pelo território nacional e pelos países vizinhos a área de atuação de seu serviço de resgate aeromédico, a empresa adquiriu um jato, Citation SII,  fabricado  pela  Cessna,  nos  Estados Unidos. O modelo já saiu da fábrica configurado para atendimento médico, seguindo as mais modernas técnicas de socorro.

PHENOM 300 – O atual avião utilizado pelo Amil resgate Saúde é um Embraer Phenom 300 de última geração e um dos mais premiados de todas as épocas. O 100º jato executivo foi entregue em 2012 a Amil. Curiosamente o Phenom, transformado em uma verdadeira UTI aérea, carrega o prefixo PP-UTI. “A entrega do 100º jato no Brasil para atender aos desafiadores requisitos operacionais da Amil tornou essa entrega ainda mais importante”, relembra Breno Corrêa, diretor de marketing e vendas da Embraer para a América Latina – Aviação Executiva.

Somente no ano passado, a Embraer Aviação Executiva entregou 63 jatos Phenom 300, o maior número entre  todos os modelos de jatos executivos da indústria no ano, de acordo com o relatório da Gama (General Aviation Manufacturers Association), entidade americana que representa o setor.

Equipada com o tradicional sistema Plus (Patient Loading Utility System), fabricado pela LifePort, uma das maiores empresas do mundo na customização de aeronaves na versão aeromédica, a nova versão do Phenom 300 possui um sistema com entradas independentes de eletricidade, que permitem o funcionamento sem impactos para a aeronave, travas na maca para maior segurança, principalmente em casos de turbulências e suporte de oxigênio com duração de dez horas.

A aeronave é utilizada em atendimentos que envolvam distâncias superiores a 300 km e em casos de maior gravidade, oferecendo assim segurança e conforto aos pacientes. Conta ainda com monitores de pressão invasiva ou intracraniana, desfibriladores, marca-passos, oxímetros de pulso, bombas de infusão, eletrocardiógrafo e kits de imobilização, além de medicamentos.

Leia  mais  na revista Transporte Moderno nº481 no  Acervo Digital OTM

You may also like

By