Transpúblico 2017: Tendências da indústria do transporte

O transporte público de passageiros no Brasil equilibra-se entre dois focos de pressão: como os passageiros exigem cada vez mais qualidade, conforto, segurança e tarifas que não pesem no seu bolso, as empresas operadoras e os gestores precisam atender aos anseios da população e ainda manter lucrativa a atividade de transporte. Qual a saída para este dilema? Extrair o máximo de produtividade das operações, sem prejuízo para o serviço oferecido. Para que isso seja possível, a indústria desenvolve tecnologias, serviços e produtos que possibilitam reduzir os custos, tornando o setor mais eficiente e, ao mesmo tempo, mais atraente para o usuário.

A Transpúblico 2017 mostrou as novidades e os principais produtos e avanços tecnológicos direcionados para esse mercado tão exigente. Além de satisfazer o usuário, um dos principais pilares do transporte de passageiros é a sustentabilidade. Os lançamentos recentes contam com soluções que minimizam os impactos negativos ao meio ambiente. A Mercedes-Benz, por exemplo, apresenta as tecnologias EIS (sistema de desligamento automático do motor) e RKM (módulo de recuperação de energia elétrica), que reduzem o consumo de combustível e o custo operacional para as empresas, além de diminuir as emissões na atmosfera, o que melhora a qualidade do ar.

A Volvo lançou o urbano B8R equipado com softwares de conectividade para facilitar a ativação do sistema de gerenciamento de frotas Volvo (Fleet Management) e o I-Coaching, soluções que auxiliam gestores de frota a reduzir os custos da operação e os motoristas a extraírem a máxima eficiência do veículo. As empresas de tecnologia desenvolvem uma série de soluções de telemetria e ITS, além de investir na comunicação entre operadores, usuários e órgãos gestores por meio de aplicativos e outras ferramentas.

A indústria promete ainda diminuir o desgaste das peças e os gastos com manutenção. A MAN trouxe o Volksbus 18.280 OTS LE, equipado com motor MAN D08 de seis cilindros e 280 cv, opção de transmissão automática e automatizada, que apresenta novos conceitos de construção e soluções tecnológicas voltadas para as operações urbanas com veículo acessível de padrão mundial. O Torino S foi desenvolvido pela Marcopolo para garantir mais eficiência operacional, com manutenção simplificada, gerando menos custos.

As energias limpas também representam uma tendência forte no mercado, assim como a acessibilidade. A BYD mostrou o ônibus 100% elétrico Caio Millennium IV, o primeiro de fabricação nacional, enquanto a Scania expôs seu modelo movido a biometano e GNV. O Volare.e Elétrico, resultado de uma parceria da Volare com a BYD, tem comprimento e peso reduzidos, suspensão pneumática e zero emissão de poluentes.

A crescente cobrança por conforto tem impactado a indústria de equipamentos de ar-condicionado para ônibus, que desenvolve modelos mais silenciosos e que não interferem no desempenho dos veículos. No setor de peças, novos materiais estão sendo explorados para proporcionar mais confiabilidade e economia à frota.

Veja também

Por