A MRS inaugura importação na rota Rio de Janeiro-Belo Horizonte

A MRS aproveita o aumento da demanda no uso da ferrovia e inaugura a operação de importação na rota Rio de Janeiro-Belo Horizonte, que é tradicional na exportação de carga geral. O primeiro contrato da empresa para o serviço de volta foi fechado com a Cofer, empresa que atua no mercado de ferro e aço no Estado de Minas Gerais.

Segundo Juliane Guedes, assistente comercial da MRS, a RJ-BH é uma das principais rotas de contêineres da empresa e, com carga da Cofer sendo levada do Sepetiba Tecon, em Itaguaí (RJ), ao terminal da Tora, em Contagem (MG), a concessionária inaugura um novo sentido de circulação com as caixinhas cheias. “Além de termos um novo cliente, esta é uma operação importante para mostrar a possibilidade de explorarmos a rota em ambos os sentidos”, explica.

A primeira entrega para a Cofer aconteceu entre os dias 12 e 20 de junho e o serviço foi executado em duas etapas, em uma com o trem carregado com dez contêineres de 20 pés e na outra em que o carregamento foi de cinco contêineres de 40 pés. Segundo Rodrigo Napoleão, gerente de industrializados e granéis da MRS, o contrato garante volume na rota para os próximos meses. “Já temos um novo carregamento da Cofer previsto para a próxima semana e, pelo planejamento que nos passaram, pelo menos mais cinco navios chegarão ao porto de Itaguaí nos próximos meses, o que nos trará uma carga de aproximadamente 50 TEU”, destaca Napoleão.

Depois de chegar, por navio, ao porto de Itaguaí e seguir por trem até Contagem, a carga é transportada até a sede da Cofer, em Divinópolis (MG), por rodovia, encerrando a cadeia logística. “Há tempos vínhamos estudando essa possibilidade. Entendemos que essa logística integrada junto à MRS irá nos proporcionar maior competitividade e, com isso, temos intenção em aumentar nosso volume de importação em 20%”, afirma Ramisses Rodrigues, diretor da Cofer.

Segundo a MRS, o novo contrato com a Cofer está em linha com a estratégia de alavancagem da carga geral na empresa. Nos últimos três anos, o transporte de contêineres teve crescimento superior a 60%. Com o objetivo de reduzir custos e garantir uma maior confiabilidade, os clientes de segmentos que não usavam a ferrovia revisaram seus planos e procuraram os serviços da MRS.

Com a estratégia de atrair novos clientes, a MRS realizou no ano passado um teste com 80 empresas que nunca haviam utilizado o serviço ferroviário. A iniciativa trouxe o retorno que a concessionária esperava e muitos passaram a utilizar a ferrovia para o transporte dos seus produtos. Hoje para o transporte de carga geral a MRS conta com mais de 200 clientes.

Em 2016, ano em que o mercado brasileiro teve forte retração, a MRS transportou 168 milhões de toneladas, 1% superior ao registrado em 2015. A movimentação de minério de ferro, carvão e coque aumentou 1,8%, totalizando 126,2 milhões de toneladas. O volume de produtos agrícolas (açúcar, milho, soja e farelo de soja) cresceu 1,5%, alcançando 27,4 milhões de toneladas.

No segmento de contêineres e agrícola a empresa conquistou 23 novos clientes no ano passado. Com o serviço de contêineres a MRS transportou 79 mil TEU em 2016, o que totalizou 919 mil toneladas de carga, um crescimento de 23% sobre 2015, quando foram transportados 67 mil TEU.

You may also like

By