Uma história de sucesso

O Centro de Memória e Cultura Julio Simões, inaugurado em julho de 2012, é um espaço dedicado a contar a história de vida do fundador da JSL, Julio Simões, e para divulgar os valores que serviram de base para o desenvolvimento da operadora logística JSL. É um local de difusão cultural, que conta com fotos, documentos e objetos da família, além de uma réplica do primeiro caminhão adquirido pelo empresário na década de 1950 e um auditório com capacidade de 140 lugares.

O centro tem por objetivo divulgar a trajetória deste imigrante português cujo exemplo pode inspirar visitantes e colaboradores, e ainda desenvolve ações comunitárias, culturais e educativas. O espaço é frequentado por estudantes da rede pública de Mogi das Cruzes, sendo também aberto para os colaboradores e parceiros da JSL, além de receber visitas organizadas com o apoio da Secretaria de Turismo da cidade e participar de diversas campanhas, como “Você Quer? Você Pode!” para transmitir às novas gerações o espírito de superação e realização do fundador da JSL.

O empresário começou como mecânico e motorista de caminhão, e a sua história de vida se confunde com a da empresa. No dia 7 de fevereiro de 1952, Julio Simões embarcou no Gênova, navio italiano de passageiros e cargas. Dezoito dias depois, a embarcação aportou no Brasil, primeiro no Rio de Janeiro e depois em Santos, onde desembarcou. Em 1954, pediu demissão da empresa onde iniciou suas atividades no país, a Auto Ônibus Mogi das Cruzes, de propriedade de seu tio Já casado com Elvira Benedicta Simões, passou a trabalhar como mascate, comprando e vendendo roupas no interior de São Paulo e Paraná. Em julho de 1956, adquiriu seu primeiro caminhão, um Ford F8 movido a gasolina, fabricado em 1951, por seiscentos mil cruzeiros. Assim começava a se formar um dos mais importantes conglomerados de transporte e logística do Brasil.

Julio Simões utilizava seu caminhão para transportar café para o Paraná e hortifrutigranjeiros para o Rio de Janeiro, assim como outras mercadorias desse estado para serem descarregadas em São Paulo. Em pouco tempo, seu caminhão passou a atender também no Estado de Minas Gerais. Meses depois, adquiriu um Fargo 1954. Em 1958, já possuía uma frota de cinco veículos e quase não dirigia mais, pois era responsável, na maior parte do tempo, pela administração dos seus caminhões. No final da década de 1950, começou a trabalhar para a Companhia Suzano de Papel e Celulose, como prestador de serviço.

 

Com capital disponível para investir em seu negócio, em 1962 o empresário foi à loja de revenda Scania e realizou um antigo desejo: comprar o primeiro caminhão da marca zero quilômetro. Até o ano de 1968, o empresário trabalhava transportando principalmente papel e tinha intenção de atuar no segmento siderúrgico. No início da década de 1970, a Transportadora Julio Simões adquiriu a Transfaço (Transportadora Ferro e Aço). Em 1971, a empresa contava com cerca de 50 caminhões. Em 1978, Simões arriscou-se em novas áreas, investindo em transportes pesados como forma de ampliar seus negócios. Sua frota era composta de veículos especiais para transportar cargas de até 120 toneladas.

 

EXPANSÃO

Em 1984, Simões adquiriu a empresa que distribuía bebidas Antarctica. Em 1987, investiu na diversificação de atividades: agregar valor e soluções logísticas aos clientes passa a ser o foco do seu negócio. O início de novos serviços em clientes deu-se com o transporte de funcionários para a Companhia Suzano e locação de veículos para a Aracruz Celulose. Nos anos 1990, o Grupo Julio Simões passou a oferecer serviços de transporte de cargas, locação de veículos, fretamento e distribuição das bebidas Antarctica. O crescimento dos negócios levou Fernando Antonio Simões a assumir, ao lado do pai, a gestão da empresa. Com a virada do milênio, o Grupo Julio Simões ampliou ainda mais seu raio de atuação e implantou serviços como locação de máquinas e equipamentos, operações florestais, movimentação interna e criou como empresa coligada a Táxi Aéreo.

Em 2002, o grupo passou a atuar no porto de Santos, executando serviços de limpeza geral nas áreas comuns e coleta de resíduos sólidos por meio da JPTecnolimp. O grupo assumiu o primeiro lugar no ranking em seu segmento, no qual permanece desde então. Em 2003, deu-se início ao transporte municipal em Mogi das Cruzes com a Transporte Coletivo Especial, também denominada Transcel.

Em 2004, tornou-se responsável pela gestão e operação dos serviços de limpeza urbana em Mogi das Cruzes. No mesmo ano, o grupo criou a Work Container, empresa especializada na fabricação e comercialização de contêineres e papeleiras, para atender às necessidades das unidades da Stralu.

Em abril de 2010, a empresa abriu seu capital ao Novo Mercado, na BMF&Bovespa, sendo criada a holding Julio Simões Participações (Simpar). Em 2012, morreu Julio Simões, o fundador desse grande conglomerado, que sempre teve a preocupação de trazer benefícios à comunidade que o acolheu. O Centro de Memória e Cultura Julio Simões é mais uma iniciativa que dá continuidade ao legado do grande empreendedor. Em 2006, no ano do cinquentenário da empresa, foi criado o Instituto Julio Simões, entidade dedicada a manter e aprimorar as atividades em prol da comunidade, como o Programa pela Vida com trailers espalhados nas rodovias que oferecem serviços gratuitos de avaliação de indicadores de saúde para os caminhoneiros.

Nos mais de 60 anos de atuação no mercado, a JSL passou a atuar em todo território nacional, além de estar presente em quatro países na América Latina, oferecendo um amplo portfólio de serviços logísticos, que abrange do transporte de carga à gestão e terceirização de frotas e equipamentos. O grupo também conta com operações independentes e complementares ao serviço logístico, no segmento comercial (Seminovos JSL, JSL Concessionária de Veículos, Movida Seminovos e Movida Aluguel de Carros) e no segmento de serviço financeiro (JSL Cartão e JSL Leasing). De um único caminhão comprado nos anos 1950 com suas economias, Julio Simões construiu um conglomerado com 24 mil colaboradores, 210 filiais e 86 mil veículos, entre leves e pesados.

You may also like

By