DAF quer 10% de participação no Brasil em 2018

Além de lançar novos produtos para o segmento off-road, a empresa planeja aumentar de 23 para 45 o número de concessionárias e trazer para o Brasil a Paccar Financial

Sonia Moraes

 

A DAF, fabricante holandesa que pertence ao grupo americano Paccar, quer ampliar a sua participação no mercado  de caminhões pesados no Brasil, de 5,5% para 10% em 2018. Para atingir essa meta, a empresa começa a abastecer a sua rede de concessionária com os novos modelos off-road CF85 e XF105, para operações de madeira e cana, que foram apresentados durante a Fenatran. “Estamos lançando produtos totalmente adequados às necessidades do mercado que, somados à experiência e ao relacionamento da nossa rede, coloca a empresa em uma nova posição comercial no Brasil”, disse Luis Gambim, diretor comercial da DAF Caminhões Brasil.

“Com o lançamento do XF105 off-road a DAF passa a atender à nova legislação que permite PBTC (peso bruto total combinado) de 91 toneladas em rodotrens de 11 eixos, uma solicitação do setor sucroalcoleiro”, destacou Gambim.

Os dois caminhões off-road estão equipados com motor Paccar MX 13, de 12,9 litros. O modelo CF85 tem potência de 460 cv e o XF105, 520 cv, o mais potente da marca no Brasil. O XF 105 está disponível em duas opções de cabine: Comfort Cab e Space Cab, ambas com cama e agregando todos os opcionais e diferenciais da linha CF.

Além dos dois modelos off-road, a DAF começa vender no mercado brasileiro a linha XF105 4×2 para o segmento de cegonha, químico, baú e sider.

Para sustentar esse crescimento, a empresa está ampliando a sua rede de concessionária com a inauguração de mais duas unidades: uma em Uberlândia (MG), de um parceiro que já possui uma revenda em Goiânia, e a outra em Chapecó (SC), de um grupo que opera em Curitiba e Cascavel (PR) e Itajaí (SC). “Com isso aumentamos a nossa rede para 23 concessionárias cobrindo 85% do território nacional”, disse Gambim.

Incluindo os dez postos de serviços autorizados, oficinas tradicionais homologadas pela DAF com peças originais e de outras marcas, a DAF passa a contar com 33 pontos de atendimento aos clientes. “Não vamos parar por aí, nos próximos cinco anos pensando na retomada gradual do mercado de caminhões no Brasil, chegaremos a 45 concessionárias, cobrindo quase que a totalidade do território nacional”, prometeu Gambim.

O diretor afirmou também que a empresa está investindo no pós-venda para assegurar dois objetivos fundamentais para o sucesso comercial da DAF no Brasil, que é a disponibilidade do caminhão e o menor custo operacional. “Para alcançar esse nível de qualidade no pós-venda, começamos a dar garantia de dois anos, sendo o segundo ano somente para o trem de força sem limite de quilometragem. Isso demonstra a confiança dos nossos produtos”, observou Gambim. “Temos contrato de manutenção ajustado ao tipo de operação e à necessidade de cada cliente e o serviço de assistência 24 horas disponível em todo território brasileiro.”

Para suprir a demanda do mercado de reposição, a DAF possui mais de 30 linhas de produtos com mais de 800 itens de peças para caminhões.

Outra estratégia da DAF para garantir o seu crescimento no mercado brasileiro, é a abertura do seu braço financeiro. Neste projeto a montadora investiu R$100 milhões com recursos próprios.

“Estamos trazendo a Paccar Financial para o Brasil. O processo de abertura desse banco está em estágio avançado, aguardando apenas os processos legais para iniciar a sua operação”, esclareceu Michael Kuester, presidente da empresa.

A estrutura física do banco já está pronta e vai ocupar o segundo andar na sede da DAF em Ponta Grossa (PR). “Estamos trazendo ao Brasil toda a solidez da nossa instituição financeira que é parceira há 57 anos da rede de concessionária da marca no mundo”, destacou Kuester.

O presidente ressaltou que a companhia tem base sólida para sustentar o crescimento da marca no Brasil. “Estamos atentos ao movimento e à retomada do mercado de caminhões no país e percebendo a melhora da confiança dos nossos clientes na economia”, disse Kuester.

Assim como as demais montadoras, a DAF também está atenta às oportunidades no exterior. Segundo Kuester, entre os planos da empresa está o início da operação de exportação para os países do Mercosul.

 

Veja também

Por