Exportações já representam 75% dos negócios de ônibus da Volvo

As vendas da Volvo Buses ao mercado latino-americano cresceram ainda mais em 2017 e grandes metrópoles como as cidades de Panamá e Guatemala renovaram as frotas com ônibus da marca

A Volvo teve amplo destaque nos principais negócios de ônibus urbanos da América Latina no ano passado, com grandes entregas fora do Brasil, principalmente com para vendas o Panamá e a Guatemala. “As exportações já atingem 75% das vendas do total dos negócios”, declara Fabiano Todeschini, presidente da Volvo Buses Latin America. Segundo ele, a empresa tem o DNA de multimercado de exportação.

O ano de 2017 foi positivo para os negócios de ônibus da Volvo na América Latina. As entregas para grandes metrópoles como cidade do Panamá e cidade da Guatemala, que renovaram frotas ou ampliaram seus sistemas urbanos de transporte de passageiros, asseguraram o crescimento da marca no continente. A região hispânica continua tendo importância estratégica. A Volvo tem tradição de exportação para estes países desde que começou a fabricar ônibus no Brasil, no final dos anos 1970.

A empresa entregou 1.055 chassis em 2017, sendo que destes 791 foram exportados. As vendas para fora do Brasil cresceram em importância em comparação com o ano anterior, quando pouco mais da metade das entregas tinha sido feita para outros países.

Além das exportações para o Panamá e Guatemala, destacaram-se os mercados do Brasil, Peru, Argentina e Chile. “Os negócios de nossa região, focados principalmente em ônibus de grande capacidade – articulados e biarticulados – são estratégicos para a Volvo Buses”, afirma Todeschini, referindo-se à divisão global de ônibus da marca. A Volvo é líder absoluta em BRTs (do inglês Bus Rapid Transit) – com mais de 50% de participação na frota circulante em sistemas de ônibus para transporte urbano de massa na América Latina, região onde a mobilidade inteligente apresenta cada vez mais potencial.

A Volvo está animada com a perspectiva de fornecer novo lote de ônibus ao sistema Transmilênio de Bogotá, Colômbia, que tem prevista nova licitação neste semestre para aquisição de mais 1.200 ônibus articulados e biarticulados.

Em 2017 a Volvo introduziu um novo chassi de ônibus urbano, o B250R, com maior índice de nacionalização e mais tecnologia embarcada de conectividade que seu antecessor. Além disso, o B250R também apresenta melhoria em consumo de combustível (redução de 3%), e em custos de manutenção (4% inferiores), comparados com os do modelo anterior. “A primeira venda foi no Brasil, para Campinas (SP), e o veículo entra em circulação em março” destaca Gilberto Vardânega, diretor comercial de ônibus da Volvo para o Brasil.

Para o presidente da Volvo Buses, o mercado de ônibus aponta para o crescimento em 2018, em nível de 10% a 15%, justificado por fatores como a prevista recuperação de passageiros decorrente da melhoria do panorama econômico, a profissionalização das operadores e as licitações que finalmente deverão ocorrer, incluindo as do sistema de transporte intermunicipal paulista, a do sistema de transporte da cidade de São Paulo e também a das linhas rodoviárias interestaduais e internacionais, esta por diversas vezes adiada nos últimos anos.

Quanto ao segmento de fretamento e turismo, o otimismo em relação às vendas neste ano baseia-se em registros de tendências como as passagens aéreas cada vez mais caras, o gradual retorno de passageiros ao segmento e o turismo sem queda.

Outra novidade foi o lançamento do Programa de Consultoria em consumo de combustível para operadores de ônibus da marca. Com base em dados de conectividade dos ônibus, monitorados em tempo real pela Volvo e suas concessionárias, é possível analisar o desempenho individual de cada veículo e de cada motorista, identificando e propondo ações de melhoria. No projeto-piloto, com a empresa Visate, de Caxias do Sul (RS), houve redução de 7% em consumo de diesel. Em 2018 o projeto será ampliado para outros operadores de ônibus da marca.

No segmento de rodoviários, o destaque de 2017 foi o pioneirismo da Volvo na introdução de chassis na configuração 8×2 para carrocerias de 15 metros, adequados à mudança na legislação que permitiu um aumento de capacidade de passageiros. A marca foi a primeira a ter um chassi homologado e encarroçado nesta especificação, que representa uma nova tendência no mercado. Os ônibus 8×2 são utilizados principalmente em serviços diferenciados nas linhas rodoviárias para usuários mais exigentes.

BIARTICULADOS CONECTADOS – O ano de 2018 inicia com a entrega de biarticulados para Curitiba (PR). Após muitos anos sem renovar sua frota de ônibus, a capital do Paraná terá 25 novos biarticulados Volvo de última geração. Com alto grau de conectividade embarcada, os veículos terão recursos avançados, como restrição de velocidade por região. Por meio de monitoramento remoto e geolocalização, os ônibus Volvo poderão ser programados à distância pelo operador do sistema

para limitação de velocidade em áreas determinadas ou em horários especiais. “ É  uma tecnologia inédita no Brasil, um recurso que aumenta a segurança em áreas próximas a hospitais, escolas, terminais e em locais com alto fluxo de pedestres”, afirma Vardânega. A entrega dos veículos está programada para março.

You may also like

By