Zeppelin: o renascimento de um mito

Um século após seu voo inaugural, o Zeppelin retoma sua trajetória histórica e hoje é utilizado em aplicações que variam desde o turismo até missões científicas, passando também por publicidade e vigilância territorial

No dia 18 de setembro de 1997, o Zeppelin NT decolou no seu voo inaugural em Friedrichshafen, no sul da Alemanha, e atraiu a atenção do público e da imprensa mundial. O mito Zeppelin ganhou nova vida com um dirigível de nova geração, o Zeppelin NT (a sigla signifi ca Nova Tecnologia), construído pela empresa ZLT Zeppelin Luftschifftechnick Desde seu primeiro voo sobre Friedrichshafen, existe novamente um dirigível sobre o lar tradicional do Zeppelin.

Os voos comerciais começaram quatro anos depois com a criação da empresa Deutsche Zeppelin-Reederei, que retomou a histórica “companhia aérea” fundada em 1935. Hoje, a empresa oferece voos panorâmicos diários em dois dirigíveis na cidade às margens do lago Bodensee (também conhecido como Lago Constance), na fronteira com a Suíça.

Foi o renascimento do mito Zeppelin que cruzou os céus por décadas até a interrupção de seu uso no final da década de oram mais de 30 anos de operação bem sucedida que combinou inovação com glamour.

O atual Zeppelin NT nada tem em comum com seu antecessor, o dirigível inventado pelo visionário conde alemão Ferdinand von Zeppelin. O desenvolvimento da aeronave por sua construtora alia experiência histórica com tecnologia. A estrutura rígida do novo dirigível é feita de alumínio e fibra de carbono. Com sua estrutura 1.100 quilos, o Zeppelin NT é um autêntico peso leve e obedece aos mais elevados padrões de estabilidade, manobrabilidade e segurança.

A sustentação no ar é proporcionado pelo gás hélio não inflamável, encapsulado em um material altamente resistente a danos.

Um inovador sistema de propulsão com motores giratórios permite ao piloto manobra o dirigível como um helicóptero, o que reduz o número de técnicos de apoio terrestre para pouso e decolagem. Mesmo quando atingido por um relâmpago, a aeronave não sofre alterações nas características de voo.

É o único dirigível com estrutura interna rígida do mundo.

A ZF Friedrichshafen, uma das maiores fabricantes de componentes automotivos do mundo e fornecedora de tecnologias de eletrificação e de condução autônoma de veículos, aproveitou a retomada dos voos do Zeppelin para convidar um grupos de jornalistas brasileiros, presentes no Salão Internacional de Veículos Comerciais (IAA 2018), a ser realização em Hannover, na Alemanha, em setembro, para um voo no dirigível.

O motivo tem a ver com a histórica relação entre a fabricante de peças e as duas empresas alemãs responsáveis pelo desenvolvimento e operação do Zeppelin.

Todas as companhias são derivadas da empresa original fundada por Ferdinand von Zeppelin em Friedrichshafen, após estudos e desenvolvimento pelo conde alemão, que patenteou seu invento alguns anos depois.

O Zeppelin (ou zepelim) é um tipo de aeróstato rígido, ou seja, um dirigível. Seu nome é uma homenagem ao conde alemão, que foi pioneiro no desenvolvimento de dirigíveis rígidos no começo do século 20.

As primeiras ideias do zepelim surgiram na década de 1870 e desenvolvidas em detalhes na década de 1890, sendo patenteadas na Alemanha, em 1895, e nos Estados Unidos, em 1899. Os primeiros voos comerciais ocorreram em 1910. Em quatro anos a Delag, a primeira companhia aérea comercial do mundo, já tinha transportado mais de 10 mil passageiros pagantes em mais de 1.500 voos. Após o enorme sucesso do projeto Zeppelin, a palavra Zeppelin passou a ser sinônimo de todos os dirigíveis rígidos.

A construção dos zepelins continuou a longo dos anos e culminou com os dirigíveis LZ 127 Graf Zeppelin LZ 129 Hindenburgtambém teve várias passagens pelo Brasil na década de 1930. Os dirigíveis podiam levar cerca de 50 passageiros e número equivalente de tripulantes.

 

DO CONCEITO

À PRODUÇÃO EM SÉRIE

As primeiras considerações sobre se a reativação dos dirigíveis Zeppelin seria técnica e economicamente viáveis foram feitas em 1988, após as quais foram realizadas estudos da documentação histórica dos dirigíveis Zeppelin históricos e a eficácia dos projetos correntes de dirigíveis. Em seguido, começaram os estudos preparatórios do protótipo. Com 75 metros de comprimento e 14 metros de diâmetro, a estrutura é montada.

Em 1993 foi criada e a empresa construtora do novo dirigível. Sua equipe fizeram pedidos e receberam diversas patentesdo novo projeto no mundo todo. Estas patentes, entre outras coisas, a estrutura triangular, o sistemas de propulsores, o desenho em forma oval e armações de fibra de carbono.

Em 1991, a prova do conceito é demonstrado.

O modelo de teste com controle remoto pesa 20 quilos e tem 10 metros de comprimento e é movido por três motores elétricos. Revelou excelentes características de voo durante o primeiro teste. Mostrou que o conceito básico de uma estrutura rígida para a qual os recém-projetados propulsores giratórios estão fixados garante o mais elevado grau de segurança e, até agora, manobrabilidade inigualada.

A seguir, um estudo de viabilidade e uma pesquisa de mercado consideraram as possibilidades técnicas, os custos de construção e a subsequente operação dos Zeppelin modernos. O primeiro levantamento revelou um potencial de venda de 80 dirigíveis Zeppelin para os setores de turismo, publicidade e missões científicas especiais. Em 1996 o protótipo do Zeppelin NT 07 foi apresentado ao público pela primeira vez e atraiu grande atenção. Em setembro de 1997 cerca de 30 mil curiosos observaram o voo inaugural do Zeppelin NT 07, que decolou do aeroporto de Friedrichshafen e depois de um voo de 40 minutos pouso em frente do novo hangar. Este hangar é o maior do sul da Alemanha, medindo 110 metros de comprimento, 69 metros de largura e 32 metros de altura. Em junho do mesmo ano, iniciou-se a construção do protótipo LZ NT 07. O segundo protótipo fez seu voo inaugural de maio de 2001 e pouco depois foi homologado pelas autoridades, depois de acumular mais de 800 horas de voo em 200 viagens, completando o programa de testes.

Em 2003 pela primeiros vez dois dirigíveis Zepellin foram homologados para voos comerciais. No mesmo ano o Zeppelin “Bodensee” oferece voo panorâmicos pela primeira vez a partir da cidade de Freiburg.

Mais de 3.000 passageiros foram recebidos a bordo nas três semanas seguintes.

Os voos comerciais passaram a operar regularmente na cidade de Friedrichshaven, a base da empresa operadora. Em setembro de 2017 o passageiro número 250 mil subiu a bordo do Zeppelin NT. No fim do ano passado, a temporada de passeios turísticos terminou com um total de mais de 24 mil passageiros transportados. Hoje a operadora oferece passeios a partir de 245 euros por pessoa para voos de meia hora.

Mais do que uma atração turística no ar o Zeppelin NT é um novo conceito de construção de aeronaves e tem muitas possibilidades de aplicação em diversas.

Desde seu início de operação em 2001, o Zeppelin tem sido usado com sucesso em muitas áreas, como plataforma para multimídia, por exemplo. Foi utilizado para transmitir programas de televisão ao vivo em eventos importantes. O dirigível também serviu para missões de reconhecimento remoto e outras missões científicas.

A polícia tem usado o Zeppelin NT Mundo para vigilância em grandes eventos, como a visita do papa em 2005 e a Copa do Mundo em 2006. Também teve utilização para estudos atmosféricos e servir de veículo de publicidade.

A indústria, a polícia, o setor militar e o das ciências que utilizaram o dirigível, após avaliação dos resultados, ficaram muito satisfeitos com o Zeppelin NT.

Por