Irizar mantém o foco na exportação

Dos 353 ônibus produzidos pela empresa, de janeiro a agosto deste ano, 94% foram enviados ao exterior, para a América Latina, África e Oceania, e o país que mais comprou modelos Irizar neste ano foi o Chile

O aumento da participação na exportação foi a saída que a Irizar, fabricante de carrocerias sediada em Botucatu, interior paulista, encontrou para compensar a retração da demanda no mercado interno em 2017 e continua sendo a alternativa mais saudável para 2018 diante do cenário econômico desfavorável que ainda prevalece no país com a desvalorização do real em relação ao dólar.

“A estratégia de destinar grande parte da produção de ônibus ao mercado externo será mantida para atender às demandas já existentes e porque a valorização do dólar tem favorecido a exportação.

Porém, o setor comercial do Brasil em consonância com a atuação dos representantes comerciais da Irizar em todo o país, segue trabalhando forte no sentido de aumentar o volume de vendas realizadas no mercado interno”, esclarece João Paulo da Cunha Ranalli, gerente nacional de vendas.

De janeiro a agosto a Irizar produziu 353 ônibus. Deste total, 94% foram destinados no exterior, como a América Latina, África e Oceania, e 6% ao mercado interno. O país que mais comprou os ônibus fabricados pela Irizar neste ano foi o Chile.

Segundo Ranalli, diante da forte crise que afetou o país, a Irizar, assim como as demais empresas que atuam no ramo de transportes, teve que se reestruturar e passou a produzir três veículos por dia na sua fábrica de Botucatu, que tem capacidade para fabricar quatro ônibus diariamente.

A meta da empresa é fechar 2018 com uma produção aproximada de 580 ônibus, o que representará crescimento de 59% sobre 2017, quando fabricou 365 veículos, dos quais 95% se destinaram ao mercado externo e 5% foram vendidos no Brasil.

“Como algumas vendas ainda estão em andamento, não é possível ter definido quantos veículos serão vendidos no Brasil e quantos serão comercializados no exterior neste ano”, diz Ranalli.

A expectativa do executivo é que o mercado de ônibus continue crescendo. “Mas teremos que avaliar todo o reflexo dos resultados das eleições e as novas regras para a economia, que sempre impactam na renovação e na aquisição de novos ônibus para as frotas rodoviárias, de turismo e fretamento”, comenta o gerente da empresa.

Apesar de as vendas da Irizar terem crescido 53,8% em comparação com o mesmo período de 2017, Ranalli considera que o mercado interno está aquém da meta estabelecida pela companhia. “Mas 2018 tem mostrado ser um ano de melhores resultados que no ano passado. As vendas de ônibus recentes para o Paraná e à cidade de Barueri são reflexo do intenso trabalho que vem sendo realizado pela área comercial”, comenta.

Mesmo diante das expectativas com relação aos resultados das eleições no país, a Irizar tem conseguido manter o ritmo de seus negócios. A empresa entregou no dia 18 de setembro oito ônibus para as empresas que operam no transporte público, sendo quatro unidades do modelo i6S para a Expresso Nordeste de Campo Mourão, no Paraná, e as outras quatro do modelo i6 para o Grupo Benfi ca BBTT, de Barueri (SP).

Os veículos entregues para a Expresso Nordeste fazem parte de um lote com dez unidades adquiridas pela empresa. Foram encarroçados sobre chassis Volvo BR380R (4×2) e possuem 13,20 metros de comprimento com 3,90 metros de altura externa.

“Entre alguns dos atributos estão o design inovador, a segurança e a confiabilidade, aspectos inerentes a todos os modelos da marca Irizar”, comenta Ranalli.

O modelo i6S possui 42 poltronas com entradas USB, WC, iluminação em cromoterapia para os passageiros, sistema de calefação de teto, áudio e vídeo, além de geladeira e bebedouro. Na parte externa o veículo conta com espelhos retrovisores acionados por controle elétrico e itinerário eletrônico frontal.

Os quatros ônibus modelo i6 foram adquiridos pelo Grupo Benfica BBTT têm pintura atualizada nos tons de azul, preto e vermelho. Dois foram encarroçados sobre chassi Volvo B310R, um sobre chassi Volvo B340R e o outro sobre chassi Mercedes-Benz O-500R.

Todos os ônibus foram equipados com ar-condicionado, wi-fi, geladeira, sistema de áudio e vídeo com rádio, entradas USB e cartão SD, Bluetooth e monitores no salão dos passageiros, além de WC completo.

Os veículos têm retrovisores com controle elétrico e um itinerário eletrônico em Led branco, além dos detalhes marcantes do design do clássico i6. “A Irizar segue atuando fortemente nas negociações no Brasil, justamente para aproveitar o momento de reaquecimento do mercado interno”, afirma Ranalli. Além das cidades do Paraná e de Barueri, a fabricante tem negociações sendo fechadas com empresas de Recife, Salvador, São Paulo e Fortaleza.

A expectativa de Ranalli é que o mercado de ônibus continue crescendo.

“Estamos vendo a retomada do mercado de ônibus como uma oportunidade para estreitar ainda mais as relações com os clientes e, consequentemente, aumentar o volume de vendas, dando ao mercado maior oportunidade de conhecer em detalhes os nossos produtos”, acrescenta.

Sobre a previsão para 2019, Ranalli conta que a Irizar ainda está trabalhando no fechamento do budget que deve ser concluído até fim de outubro. “Mas a estimativa é de um crescimento de no mínimo 33%”, diz.

Ranalli enfatiza que o patamar do dólar frente ao real tem favorecido a Irizar, assim como a todas as indústrias exportadoras.

“Para manter este volume, seguimos no trabalho forte de reestruturação da área comercial, colocando os profissionais da Irizar para atuar diretamente nos mercados, além de fortalecer nossas representações de forma a dar mais peso à presença da marca e, com isto, conhecer mais de perto nossos clientes e as suas necessidades operacionais, podendo assim atendê-los cada vez melhor e com maior eficiência e rapidez”, informa.

Veja também

Por