Volvo CE investe na expansão da linha de produtos

Com incremento de 47,7% nas vendas em 2018 no Brasil, fabricante amplia sua linha de produtos para a América Latina

A Volvo Construction Equipment Latin America registrou bons resultados, em 2018, no mercado brasileiro. As marcas Volvo e SDLG (esta representa um terço dos negócios da Volvo CE) cresceram 47,7% no ano passado, em comparação com o período anterior. Somente a Volvo aumentou suas vendas em 67,4%. A expansão é resultado, principalmente, da retomada da economia no Brasil e do crescimento do setor de equipamentos de construção.

“Os números mostram a continuidade da recuperação da economia. Praticamente todas as linhas de máquinas apresentaram aumento no país, depois de um período bastante difícil”, diz Luiz Marcelo Daniel, presidente da Volvo CE Latin America.

Na comercialização de máquinas de grande porte, como carregadeiras, escavadeiras e caminhões articulados, a expansão foi de 59%. A maior parte foi de escavadeiras e carregadeiras. “São máquinas de diferentes portes, com grande aceitação em vários segmentos da economia, principalmente em virtude de sua grande produtividade e alto grau de tecnologia embarcada”, afirma Daniel.

De acordo com Daniel, atualmente o mercado deste tipo de máquina no Brasil está em torno de sete mil unidades por ano. Em 2014, o volume atingiu seu ápice, com fabricação de 25 mil unidades. Para 2019, a expectativa é de que a produção do setor fique entre 14 mil e 16 mil máquinas, mantendo-se neste patamar até 2021. Os segmentos que mais têm aquecido o setor são mineração e a atividade florestal. O agronegócio também é destaque e representou 12% das vendas da Volvo CE no ano passado. A indústria de celulose e exportação de laminados, o manejo de madeira, os setores ceramista e de desagregação de material, a siderurgia e a movimentação de minério de ferro também dão indícios de recuperação.

A região hispânica apresentou resultados semelhantes aos registrados no Brasil. Com exceção da Argentina, todos os principais mercados da região cresceram na comparação com o ano anterior. Somando-se Volvo e SDLG, o Brasil teve uma participação maior nas vendas no continente, com 56%, ante 44% da região hispânica. “A Argentina começa a dar sinais de retomada no segmento de óleo e gás. No México, o destaque é a movimentação de materiais, enquanto Peru e Colômbia estão expandindo as obras de infraestrutura”, resume Daniel. Para 2019, os negócios da Volvo CE para países sulamericanos devem aumentar cerca de 5%.

A Volvo CE tem investido na expansão do portfólio de produtos. Nos últimos meses, foram 21  lançamentos, sendo 19 da Volvo e dois da SDLG. A empresa apresenta a atualização da linha de caminhões articulados na América Latina. As máquinas chegam ao mercado com novos recursos e funcionalidades. “Estamos modernizando ainda mais os caminhões articulados, uma linha de produtos inventada e desenvolvida pela Volvo. Sempre fomos líderes neste segmento em todo o mundo”, enfatiza Daniel. A linha é formada pelos modelos A25G, A30G, que são fabricados no Brasil, A45G e A60H, que são produzidos na Suécia.

Nessa geração, os veículos contam com o controle de velocidade em descida, que permite manter a velocidade em declives nos canteiros de obras. O operador pode determinar a velocidade desejada e o caminhão irá mantê-la, aumentando a segurança e o conforto durante o trabalho.

Outra novidade é o piloto automático, uma função com a qual o operador pode definir a velocidade da máquina, que mantém um ritmo constante.

O Optishift está agora incorporado aos caminhões articulados da marca. Este dispositivo funciona para mudar o sentido da máquina de forma automática, depois que o operador aciona a ré, desacelerando para a velocidade adequada para a reversão do sentido. Os caminhões articulados ainda passaram a ser equipados com teste de freios de estacionamento no painel, paraque o operador não precise sair do equipamento para fazer medição física.

A carregadeira L110F ganha uma nova versão para atuar em operações do agronegócio, principalmente no setor sucroalcooleiro.

“O agronegócio brasileiro é um dos mais competitivos do mundo. Ele precisa de equipamentos confiáveis, avançados e de alta produtividade, tecnologia, grande robustez e baixo consumo de combustível”, acredita Daniel.

A L110F Agriculture tem rodas e pneus mais largos, do tipo agrícola, com perfil e dimensões projetados para rodar em áreas rurais específicas, além de ser equipada com uma caçamba de 7,5 metros cúbicos para trabalhar com bagaço de cana, que tem densidade bem menor que outros materiais tradicionais. A máquina é configurada com ventilador reversível, que permite inverter o sentido da rotação do ventilador do sistema de refrigeração. O fluxo contrário do ar garante a limpeza do sistema e o melhor funcionamento da carregadeira.

Outra novidade da Volvo CE para o mercado latino-americano é o sistema co-pilot, com as plataformas Load Assist e Haul Assist, para carregadeiras e caminhões articulados. O co-pilot serve de base para diversas plataformas de aplicativos de assistência ao operador. A gama de aplicativos irá aumentando com o desenvolvimento tecnológico e as demandas dos clientes nos diversos segmentos e aplicações.

A Volvo CE espera alcançar perto de mil máquinas monitoradas com o ActiveCare Direct na América Latina, até o final deste ano. Atualmente, cerca de 250 equipamentos já utilizam a ferramenta. Lançada recentemente no Brasil, a solução foi desenvolvida para o monitoramento proativo da frota de equipamentos da marca, com informações obtidas por meio do sistema de telemática CareTrack Funcionando durante todo o tempo em que o equipamento está trabalhando, a ferramenta detecta uma série de situações, desde o uso excessivo da marcha lenta e erros operacionais até o consumo exagerado de combustível e possíveis riscos de falhas da máquina.

FÁBRICA

O complexo industrial da Volvo CE, localizado em Pederneiras, interior de São Paulo, completa 44 anos de atividades.

Atualmente, 46% da produção é destinada ao Brasil e 54% a outros países. “Somos uma unidade fabril de classe mundial, fabricando o portfólio global de produtos para atender aos mercados mais exigentes”, declara Wladimir Garcia, vice-presidente e diretor-geral do complexo industrial da Volvo CE na América Latina.

Além do mercado doméstico, as máquinas produzidas em Pederneiras vão para os Estados Unidos (13%), Europa e Oriente Médio (9%), região hispânica da América Latina (19%) e Ásia e alguns países do Pacífico (12%). A fábrica é a provedora exclusiva dos caminhões articulados A25G e A30G para os Estados Unidos, o que representa 70% de toda a produção desta linha. Outros 10% desses modelos são exportados para a Europa. A fábrica de Pederneiras é também a fornecedora mundial da série F de pás-carregadeiras para os mercados emergentes.

Por