Fortaleza passa a contar com serviço de transporte coletivo por aplicativo

Sindiônibus lança plataforma de mobilidade sob demanda, baseado em um algoritmo inteligente que traça as melhores rotas de acordo com a necessidade dos usuários

Em início de dezembro, foi lançado em Fortaleza o TopBus+, um serviço de transporte coletivo sob demanda por meio de aplicativo, administrado pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus). O transporte utiliza uma tecnologia desenvolvida pela empresa Via, já implementada em cerca de 100 projetos. A capital cearense é a segunda cidade brasileira que irá disponibilizar esse tipo de serviço, que funciona em Goiânia desde o início do ano.

O TopBus+ não tem rota fixa e atende à solicitação dos passageiros pelo aplicativo. O objetivo da ferramenta é promover viagens compartilhadas, com conforto e custos menores. A tecnologia do aplicativo cria rotas inteligentes de acordo com a necessidade de uma pessoa ou um grupo de pessoas dispostas a compartilhar deslocamentos.

O TopBus+ irá operar inicialmente com 18 Sprinter da Mercedes-Benz, com capacidade para 13 passageiros sentados e, a princípio, atenderá pedidos de quem queira se deslocar dentro da região do centro, Praia de Iracema, Aldeota, Mucuripe, Varjota, Papicu, Cidade 2000, Joaquim Távora, Fátima, Benfica, além de alguns principais shoppings e universidades de Fortaleza.

A Via é fornecedora e desenvolvedora de soluções de mobilidade compartilhada sob demanda que possui contratos com operadores de ônibus e agências de transporte em todo o mundo, incluindo a HP Transportes no Brasil e a Arriva no Reino Unido, bem como importantes entidades de transporte público, como o metrô de Los Angeles, a Transport of London (TfL) e a Berliner Verkehrsbetriebe (BVG) de Berlim.

“A Via está desenvolvendo uma nova geração de transporte público, saindo de um sistema de rotas e horários rígidos para uma rede totalmente dinâmica. O algoritmo combina, em tempo real, vários passageiros na mesma direção, criando um serviço de ônibus altamente acessível, conveniente e premium, mantendo a duração da viagem semelhante a de um carro particular”, explica Leandro Aliseda, diretor geral da Via no Brasil.

O roteamento inteligente do algoritmo permite que os clientes sejam embarcados e desembarcados em um fluxo contínuo, com desvios mínimos de rota para acomodar outros passageiros. De acordo com Aliseda, isso possibilita o transporte de um grande volume de pessoas, usando uma fração do número de veículos utilizados por outros serviços semelhantes. “Esse modelo já se comprovou em Goiânia e será adotado em breve em várias outras cidades do Brasil”, acrescenta.

Todos os veículos possuem ar-condicionado, assentos acolchoados, carregadores para celular e uma identidade visual moderna.

A solução pode utilizar as melhores rotas, desviar de congestionamentos e circular na faixa exclusiva de ônibus. Além de ser uma alternativa para quem deseja evitar trânsito e estacionamentos, o serviço será personalizado com motoristas contratados e treinados.

O TopBus+ também é uma opção para quem está com outras pessoas que queiram ir para o mesmo destino. Nesse formato, apenas uma pessoa solicita a viagem no aplicativo e por cada acompanhante será cobrada apenas uma taxa. Segundo o Sindiônibus, a viagem em grupo traz mais economia que a individual.

“A tecnologia de compartilhamento de viagens da Via é importante para o futuro do transporte, pois cidades, governos e empresas percebem que, se quisermos enfrentar grandes desafios, como congestionamentos e emissões de carbono, precisamos encontrar uma maneira de fornecer transporte em massa eficiente e de baixo custo. Desde ambientes urbanos altamente densos até comunidades rurais, a Via está trabalhando com uma grande variedade de cidades no desenvolvimento deste tipo de transporte”, conta Aliseda.

FACILIDADE – Para utilizar o TopBus+, é necessário baixar o aplicativo e realizar um cadastro, além de informar o local de partida por meio de GPS, e digitar o endereço para onde deseja ir. É possível informar quantos assentos deseja reservar, para viagens com diversos passageiros com o mesmo destino. O app mostrará o número do veículo, o nome do motorista e indicará o local de encontro que o motorista irá buscá-lo. O aplicativo define-se os passageiros deverão fazer uma pequena caminhada para realizar o embarque e o desembarque, ou se isso poderá der feito no próprio local de destino do passageiro.

As vans não utilizam as paradas de ônibus convencionais. O valor da passagem não é calculado pelo critério de tarifa dinâmica, ou seja, não depende da procura, mas varia de acordo com a distância do percurso de cada passageiro. O valor mínimo é de R$ 3,50 e a cada quilômetro a mais será cobrada uma taxa de R$ 1,50 para este projeto-piloto. Ao solicitar a viagem, a opção de pagamento deve ser selecionada pelo aplicativo. Serão aceitos cartões de crédito e de débito.

Em Goiânia, a Via lançou o CityBus 2.0 com a HP Transportes Coletivos em fevereiro de 2019 e, devido à alta procura, a ferramenta foi expandida para 13 novos bairros. “Em apenas cinco meses, mais de 38 mil usuários se registraram para usar o CityBus 2.0. Uma pesquisa da HP Transportes revelou que quase todos os clientes migraram do uso de carros próprios ou de aplicativos como principal meio de transporte. Goiânia é a primeira cidade da América Latina a introduzir um sistema totalmente flexível, operado por uma empresa de transporte público. Estamos ansiosos para mostrar seu impacto e replicar seu sucesso em outras cidades do Brasil”, afirma Aliseda.

A inspiração para a Via veio de Israel, onde muitas pessoas usam veículos compartilhados chamados sheruts (minivans que atuam como táxis compartilhados) para viajar de maneira mais rápida e barata.

“O mercado de transporte brasileiro e latino-americano, com intenso congestionamento de tráfego e infraestrutura desatualizada ou sobrecarregada, tanto física e digital, exige soluções de trânsito inovadoras que repensem radicalmente o transporte. A mobilidade está intimamente ligada ao crescimento econômico, garantindo o acesso a empregos, educação e assistência médica, por exemplo”, acredita Aliseda.

Na opinião do executivo, as principais cidades da América Latina estão se adaptando rapidamente para enfrentar os desafios do transporte público e estão explorando como esse tipo de serviço pode alcançar os mesmos benefícios ambientais e de redução de congestionamentos do transporte de massa por uma fração do custo. “A tecnologia da Via está na vanguarda desse movimento, podendo ser adaptada para solucionar os desafios específicos enfrentados por cada região”, afirma.

A Via tem contratos em andamento para o próximo ano. “Já temos alguns acordos fechados e outros bem adiantados, mas ainda não podemos divulgar quais cidades irão adotar a tecnologia. Esse tipo de transporte já é uma tendência que cresce rapidamente na América Latina e no mundo.

Recentemente, exibimos nosso serviço CityBus 2.0 para mais de 100 executivos e administradores públicos de todo o Brasil, demonstrando como o transporte sob demanda pode operar com sucesso”, comenta Aliseda.

Veja também

Por