FPT apresenta seus motores conceito

O Cursor X funciona com gás natural, células de combustível de hidrogênio ou bateria elétrica e F1C gás etanol com gás natural, biometano e etanol

A FPT Industrial, empresa do grupo CNH Industrial, apresenta o Cursor X, motor conceito que pode ser abastecido com gás natural, células de combustível de hidrogênio ou bateria elétrica. Este propulsor permite combinações de operação em modo puramente elétrico a híbrido paralelo ou serial.

Este conceito pode ter o mesmo tamanho de um motor tradicional de combustão interna e ser aplicado em furgões de carga, ônibus, tratores de esteira, escavadeiras, tratores agrícolas e colheitadeiras.

Também pode ser equipado com processadores e sensores capazes de reconhecer anomalias, analisando desgastes e prevendo necessidades de manutenção.

A configuração a gás natural, com opção híbrida elétrica, é ideal para veículos de transporte de passageiros metropolitanos e regionais, reduzindo as emissões de CO2 em até 30%. A configuração elétrica a bateria é para veículos de entregas urbanas, com autonomia estimada em 200 quilômetros. A célula de combustível de hidrogênio é uma tecnologia elétrica para longa distância e transporte pesado, com autonomia estimada de 800 quilômetros.

O Cursor X foi projetado pela equipe de desenvolvimento de produto da FPT Industrial em conjunto com o centro de design da CNH Industrial, mesclando capacidades técnicas e funcionalidades de uma fonte de energia 4.0 para novos combustíveis.

Outra novidade da FPT é o F1C gás etanol, motor conceito em fase de desenvolvimento ainda sem previsão de chegar ao mercado brasileiro. Pode ser abastecido com gás natural comprimido, biometano e etanol.

Segundo a FTP, o F1C gás etanol, de 3,0 litros, 136 cv de potência e 350 Nm de torque, atinge os menores níveis de emissões, sendo a solução adequada para grandes centros urbanos, compatível com a fase L7 do Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores (Proconve) – também chamada de Euro 6. Este motor reduz em até 30% os custos com combustível.

“O etanol é o combustível renovável mais importante da matriz energética do Brasil, com alta disponibilidade de abastecimento, elevada produtividade a partir de cana-de-açúcar, além de não emitir material particulado, como o diesel. Com a inovação em seu DNA, a FPT Industrial não poderia deixar de apostar no potencial dessa nova configuração, que se soma à nossa experiência de mais de 25 anos no desenvolvimento de motores a gás natural”, afirma André Faria, especialista de marketing produto da FPT Industrial para a América do Sul.

A FPT Industrial lidera o segmento de gás natural, com mais de 50 mil motores comercializados em todo o mundo nas últimas décadas. A empresa tem em seu portfólio motores a gás natural de 3 litros a 12,9 litros e potências de 136 cv (100 kW) a 460 cv (338 kW), que equipam veículos comerciais, caminhões leves, médios e pesados, e ônibus.

Com o novo conceito gás etanol, a FPT Industrial amplia o portfólio em inovação, impulsionando o desenvolvimento de soluções em propulsões alternativas. “Com o FPT F1C gás etanol, um motor próprio para a realidade brasileira, apresentamos ao mercado um conceito que mescla baixas emissões de poluentes do gás natural com toda a versatilidade do etanol, uma das bases da energia brasileira. O resultado é o aumento da autonomia associada à robustez e menores custos operacionais dos motores FPT Industrial”, diz Faria.

A FPT apresentou também o Cursor 13 movido a gás natural. É o mais potente propulsor movido a gás natural comprimido, gás natural liquefeito e biometano da sua categoria, com potência máxima de 460 cv (338 kW) a 1.900 rpm e torque máximo de 2000 Nm a 1.100 rpm. É o primeiro motor on-road para longa distância.

Seu nível de emissão de CO2 é até 9% mais baixo do que o equivalente movido a diesel e pode chegar a quase zero com biometano. O Cursor 13 movido a gás natural também permite uma redução de emissões de 98% de material particulado e de 48% de NOx. Além disso, assegura uma economia de custos com combustível de até 40%, em comparação com o motor a diesel, e menor ruído de funcionamento. “Os motores a gás oferecem todas as vantagens dos motores tradicionais, inclusive a confiabilidade comprovada, seu custo total de propriedade é competitivo, e o biometano pode ser gerado como combustível renovável”, afirma Marco Rangel, presidente da FPT Industrial para a América do Sul.

Por