Grupo Latam atinge a marca de 100 aviões Airbus com cabines remodeladas

Na Latam Brasil já foram remodelados os interiores de 50 aeronaves Airbus A 320 e A321 e envolveu a troca de poltronas, lavatórios e galley traseira, além da instalação de entradas USB e modificações estruturais

O grupo Latam atingiu a marca de 100 aeronaves Airbus A320 e A321 com as cabines totalmente remodeladas no centro de manutenção Latam MRO, em São Carlos (SP). Somente no caso da Latam Brasil, foram reformulados os interiores de 50 aeronaves. Até 2023, passarão pelo mesmo processo de retrofit mais 86 aviões, sendo 44 da Latam Brasil e 42 de outras afiliadas do grupo.

O projeto, retomado em julho de 2021, envolve a desmontagem completa da cabine da aeronave, troca de todas as poltronas, do lavatório e da galley (cozinha do avião), além de reforços estruturais necessários para a nova configuração interna. É também instalado um sistema chamado “in seat power”, que garante um ponto de alimentação de energia elétrica para cada poltrona da aeronave, além de um sistema chamado “direct view”, que consiste em uma câmera de monitoramento da cabine durante pousos e decolagens, garantindo máxima segurança. 

“O avanço do processo de retrofit da Latam é um reflexo da eficiência e excelência da Latam MRO em São Carlos e as mudanças em nossas aeronaves vão beneficiar diretamente a experiência de voo dos nossos clientes, que cada vez mais embarcam em aeronaves com cabines mais modernas, agradáveis, seguras, confortáveis e tecnológicas”, explica Sebastian Acuto, diretor de frota e projetos do Latam Airlines Group.

Com a troca de todas as poltronas, as aeronaves Airbus A320 ficam com nova configuração, comportando 180 assentos (24 em classe Premium Economy e 156 em Economy, em média). Já os Airbus A321 assumem nova configuração de 224 assentos (30 em classe Premium Economy e 194 em Economy, em média).

A reformulação das cabines das aeronaves da Latam, anunciada em 2019, é o maior investimento da história do grupo Latam – cerca de US$ 400 milhões –, sendo metade deste valor destinada especialmente à operação da Latam Brasil. O projeto, que já consumiu uma média de três mil horas produtivas de trabalho, ficou paralisado por mais de um ano na pandemia de Covid-19 e foi retomado no terceiro trimestre de 2021 para atender ao processo de crescimento da Latam, sobretudo nos voos domésticos.

Ao todo, 140 mecânicos têm se dedicado exclusivamente ao retrofit, divididos em três turnos de trabalho. As atividades também contam com o apoio das equipes de hangar, oficina de poltronas e de pintura. 

A unidade da Latam no Brasil concentra o projeto porque a cidade de São Carlos é um polo tecnológico com duas das mais importantes universidades brasileiras. Com mão de obra altamente especializada, o Latam MRO é referência em manutenção aeronáutica no Brasil e na América Latina.

Por