Gol anuncia acordo com Mercado Livre

Três aeronaves da Gol transformadas em cargueiros entram em operação no segundo semestre deste ano e outras três serão integradas à frota até o terceiro trimestre de 2023

A Gol Linhas Aéreas e o Mercado Livre anunciaram acordo para o mercado de logística com a operação dedicada de aviões para transporte exclusivo de cargas. O negócio contempla seis aeronaves da Gol modelo Boeing 737-800 e faz parte do pacote de investimentos de R$ 17 bilhões que o Mercado Livre anunciou para este ano no Brasil. Com a força operacional da companhia aérea, a empresa espera reduzir em até 80% o tempo de entrega para rotas mais longas, como as regiões Norte e Nordeste, e em até 50% em rotas médias, como Centro-Oeste.

Três aeronaves da Gol entram em operação no segundo semestre deste ano. Outras três serão integradas à frota até o terceiro trimestre de 2023. O acordo considera também a opção de adicionar outras seis aeronaves de carga até 2025. “A expansão da frota aérea é vital para seguirmos com a missão do Mercado Livre de democratização do comércio eletrônico e torna-se ainda mais latente em um país de dimensões continentais como o Brasil. Com este reforço teremos voos diretos saindo de São Paulo e, considerando cargas armazenadas em Fulfillment, vamos reduzir o tempo de entrega para as Regiões Norte e Nordeste em até 80%, alterando o prazo de entrega de Manaus, por exemplo, de nove dias para apenas um dia.

Em capitais do Nordeste, o prazo atual de quatro dias também cairá para apenas um. Já os consumidores de Goiânia e Cuiabá, por exemplo, passarão a receber seus pacotes Full no dia seguinte”, afirma Fernando Yunes, vice-presidente Sênior e líder do Mercado Livre no Brasil. “Estamos muito otimistas em relação ao nosso acordo com a Gol, o enxergamos como peça fundamental no fortalecimento de nossa trilha de crescimento no e-commerce e estratégia de expansão regional.”

Os aviões destinados à operação fazem parte da frota atual da Gol e passarão por um processo de conversão para cargueiros, sendo designados como 737-800 BCF (Boeing Converted Freighter), equipamentos inovadores em termos de carga e eficiência, com capacidade de 24 toneladas. Finalizados, terão a cor e a logomarca do Mercado Livre. A Gol Aerotech, unidade de negócios da companhia especializada em manutenção, reparos e revisões de aeronaves e componentes, a maior da América Latina, está em processo de certificação para executar integralmente as conversões das próximas aeronaves em seu centro de manutenção em Confins (MG).

“Este modelo de negócio anuncia uma nova fase para a Gol e para a Gollog. A expansão do escopo de serviços da nossa unidade de logística com operações de aviões cargueiros para o líder do mercado de e-commerce na América Latina traz, de forma estruturada e sustentável, eficiência de escala e segurança econômica para as duas empresas, além do crescimento do mercado esperado para os próximos anos”, diz Paulo Kakinoff, CEO da Gol Linhas Aéreas.

A Gol está se estruturando para atender as necessidades do crescente mercado brasileiro de e-commerce, que responde atualmente por mais de R$ 180 bilhões em receitas anuais, com um gasto anual de mais de R$ 12 bilhões em serviços logísticos. Com as operações exclusivas para o Mercado Livre, a Gol espera gerar diretamente 100 novas vagas de trabalho e aproximadamente 90 posições indiretas. “Estimamos que a Gollog registre um aumento de aproximadamente 80% na capacidade ofertada em toneladas e aumente a gama de serviços oferecidos com uma receita incremental de R$ 100 milhões em 2022 e de mais de R$ 1 bilhão nos próximos cinco anos”, complementa Julio Perotti, diretor executivo da Gollog.

A companhia aérea mantém seu plano de frota de encerrar o ano com 136 aeronaves, das quais 44 do modelo Boeing 737-MAX 8 e 92 em Boeing 737-NG. A destinação das 6 aeronaves exclusivas para operação de cargas inaugura um novo capítulo de eficiência na redução dos custos unitários da Gol, uma vez que, combinada com a aceleração na transformação da frota para 737 MAX, permitirá maior diluição dos custos fixos, redução da ociosidade existente e incremento de novas oportunidades de geração receitas auxiliares. 

Por