Vendas de pneus de carga recuam quase 3% no primeiro trimestre de 2022

Dos 1,947 milhão de pneus comercializados no mercado brasileiro de janeiro a março deste ano, 1,493 milhão foram para o mercado de reposição e 453,3 mil para as montadoras

As vendas de pneus de carga aumentaram 4,6% em março em relação a fevereiro, com o total de 671.066 unidades. Mas na comparação com março de 2021 (711.759 unidades), houve uma queda de 5,7%, segundo a Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos (Anip) 

Para as montadoras, as fabricantes venderam 149.562 pneus de carga em março, 6,4% a menos que no mesmo mês de 2021 (159.787 unidades). Ao mercado de reposição foi repassado 521.504 pneus, o que representou uma queda de 5,6% em relação a março do ano passado (551.972 unidades). 

No acumulado de janeiro, a março as fabricantes venderam 1,94 milhão de pneus de carga, 2,52% a menos que no primeiro trimestre de 2021, quando foram comercializados 1,99 milhão de pneus no mercado brasileiro. O mercado de reposição absorveu 1,49 milhão de pneus até março, 2,4% a menos que no mesmo período de 2021 (1,53 milhão), e as montadoras receberam 453.306 produtos, 3% abaixo dos 467.625 pneus vendidos nos três primeiros meses de 2021. 

Incluindo todos os segmentos que são abastecidos pela indústria nacional (automóveis, veículos comerciais leves, carga e motos) a venda de pneus atingiu 4,77 milhões em março, 4,43% acima de março de 2021. O destaque, segundo a Anip, foi o segmento de comerciais leves, que teve alta de 7,1% sobre fevereiro de 2022.

No acumulado de janeiro a março, as vendas atingiram 13,67 milhões pneus, resultado 2,8% inferior ao primeiro trimestre de 2021 (14,07 milhões). Essa queda, segundo a Anip, se deve principalmente às vendas para as montadoras que foram 9,2% menores nesse trimestre em comparação com o trimestre de 2021, e o destaque foram os pneus de passeio, os quais tiveram retração de 16,5% em relação ao mesmo período de 2021.

“Os números de forma geral não são promissores, principalmente para os pneus de carga, com grande invasão de pneus importados”, analisa Klauss Curt Müller, presidente executivo da Anip.

No primeiro trimestre de 2022, a balança comercial do setor de pneumáticos apresentou déficit de US$ 48,863 milhões, com a importação de US$ 325,217 milhões e a exportação de US$ 276,354 milhões. Este saldo negativo é superior ao registrado no mesmo período de 2021, cujo déficit foi de US$ 14,639 milhões.

Em unidades, as fabricantes acumularam de janeiro a março saldo negativo de 5,85 milhões de pneus, com a importação de 9,43 milhões (21,1% menos que no primeiro trimestre de 2021) e a exportação de 3,58 milhões (4,5% mais que nos três primeiros meses de 2021).

Por