Siemens vai operar no mercado de carregamento sem fio para veículos elétricos

A empresa investiu US$ 25 milhões na WiTricity e juntas trabalharão para impulsionar a inovação no carregamento wireless de veículos elétricos

A Siemens investiu US$ 25 milhões e adquiriu uma participação na WiTricity, empresa de tecnologia de carregamento sem fio com sede nos Estados Unidos. Juntas as empresas trabalharão para impulsionar a inovação no carregamento wireless de veículos elétricos. A expectativa é de que este mercado atinja US$ 2 bilhões em 2028, apenas na Europa e na América do Norte.

As empresas buscam preencher lacunas na padronização global do carregamento sem fio para veículos comerciais elétricos leves e de passageiros, para permitir a interoperabilidade entre veículos e infraestrutura. Além disso, ambas colaborarão para avançar no desenvolvimento técnico de sistemas de carregamento wireless.

“Combinar a pegada global da Siemens e o portfólio de carregamento de veículos elétricos com a tecnologia inovadora da WiTricity é o primeiro passo para elevar nossa oferta na área de carregamento wireless. Isso acelerará a implantação da tecnologia de carregamento sem fio, irá apoiar a padronização e o avanço da infraestrutura de carregamento público com soluções interoperáveis para a conveniência dos motoristas”, diz Markus Mildner, CEO da Siemens eMobility.

A Siemens também se tornará parceira de licença de tecnologia, beneficiando-se do know-how da WiTricity e da colaboração de décadas com as empresas do setor automotivo globais para desenvolver soluções comprovadas de carregamento wireless, testadas em campo e interoperáveis.


Um carregador montado no solo ou dentro dele troca energia com uma bobina de recepção conectada na parte inferior do veículo elétrico por meio de um campo magnético. Não há partes móveis ou conectores físicos. O sistema usa indução ressonante entre o carregador e o receptor para fornecer alta eficiência em uma variedade de distâncias ao solo, de carros esportivos rebaixados a SUV.

Segundo a Siemens, o objetivo final da colaboração é acelerar o amadurecimento das tecnologias de carregamento sem fio em conjunto com montadores de veículos e parceiros de infraestrutura para garantir simultaneamente sua disponibilidade econômica em todo o mundo. Uma pesquisa recente com mais de mil proprietários de veículos elétricos e futuros interessados em comprar um nos próximos dois anos indicou que o carregamento sem fio era um dos complementos mais importantes, na frente de assistência com estacionamento, desempenho ou pacotes de áudio premium.

“O carregamento sem fio permite que o motorista estacione e vá embora com o veículo carregado, tornando o veículo elétrico mais atraente para proprietários individuais e mais econômicos para os operadores comerciais. Estamos entusiasmados em fazer parceria com um líder como a Siemens para ajudar a impulsionar esse novo mundo de soluções atraentes. A Siemens e a WiTricity compartilham o objetivo de melhorar a propriedade e a gestão da frota de veículos elétricos com a simplicidade e confiabilidade do carregamento sem fio”, disse Alex Gruzen, CEO da WiTricity.

 
De acordo com a empresa, para que os veículos autônomos cumpram sua promessa, alguns pontos como o carregamento precisam ser resolvidos, pois hoje isso ainda requer intervenção humana. A transferência de energia sem fio será a tecnologia-chave para permitir o carregamento automático sem contato, com menos requisitos de manutenção, e abrir caminho para um futuro de mobilidade totalmente autônomo e elétrico.

As empresas destacam ainda que o setor de mobilidade contribui para a descarbonização. “Sistemas de transporte potentes, confiáveis e ecológicos são essenciais para uma sociedade e economia funcionais os modais ferroviário e metroviário também são parte importante desse quadro. Hoje é preciso locomover-se de forma rápida e eficiente – os passageiros esperam mais e as cidades, os operadores e a indústria devem responder para atender a essas deman­das, inclusive com sistemas que representem menor impacto no meio ambiente.”

Por