Volvo apresenta na Europa caminhão com células de combustível a hidrogênio

Os caminhões elétricos movidos a célula de combustível terão uma autonomia comparável à de muitos caminhões a diesel – até 1.000 km, emitindo apenas vapor de água – e um tempo de reabastecimento inferior a 15 minutos

A Volvo Trucks já oferece na Europa e Estados Unidos caminhões elétricos a bateria. E até o fim desta década, a empresa anuncia que disponibilizará mais uma opção neutra em CO2: caminhões elétricos a célula de combustível movidas a hidrogênio.

“Estamos desenvolvendo essa tecnologia há anos, e é ótimo ver os primeiros veículos chegando com sucesso à pista de testes. A combinação de caminhões elétricos a bateria e caminhões elétricos a célula de combustível permitirá que nossos clientes eliminem completamente as emissões de CO2 de seus caminhões, independentemente do tipo de operação de transporte,” diz Roger Alm, presidente da Volvo Trucks.

Os caminhões elétricos movidos a célula de combustível terão uma autonomia comparável à de muitos caminhões a diesel – até 1.000 km – e um tempo de reabastecimento inferior a 15 minutos. As duas células de combustível têm a capacidade de gerar 300 kW de eletricidade a bordo. Os testes com clientes em operações reais começarão em alguns anos e a comercialização na Europa está prevista ainda para década.

“Caminhões elétricos movidos a hidrogênio são adequados para longas distâncias e aplicações pesadas e com alta demanda de energia. Eles também podem ser uma opção em países onde as possibilidades de recarga de bateria são ainda limitadas,” diz Roger Alm.

As células de combustível geram sua própria eletricidade a bordo a partir do hidrogênio, em vez de carregarem de fontes externas. O único subproduto emitido é vapor de água.

As células de combustível serão fornecidas pela Cellcentric – joint venture entre o Grupo Volvo e a Daimler Truck AG. A Cellcentric construirá uma das maiores instalações da Europa para produção em série de células de combustível, especialmente desenvolvidas para veículos pesados.

A tecnologia de células de combustível ainda está em fase inicial de desenvolvimento e há muitos benefícios, mas com desafios à frente. Um deles é o fornecimento de hidrogênio verde em larga escala. Outro desafio é a infraestrutura de reabastecimento de veículos pesados, que ainda precisa ser desenvolvida.

“Esperamos que o fornecimento de hidrogênio verde aumente significativamente durante os próximos anos, já que muitas indústrias dependerão dele para reduzir o CO2. No entanto, não podemos esperar mais para descarbonizar o transporte. Então, minha sugestão para todas as empresas que atuam no segmento é começar a jornada com os caminhões elétricos já disponíveis. Em alguns anos, os veículos a células de combustível serão então um complemento importante para rotas mais longas e transportes mais pesados”, afirma Roger Alm.

Por