Fresp faz acordo com Aprecesp para estimular turismo rodoviário

 

Com a estratégia de estimular o turismo rodoviário nas estâncias paulistas, a Federação das Empresas de Transportes de Passageiros por Fretamento do Estado de Paulo (Fresp) e a Associação das Prefeituras das Cidades Estância do Estado de São Paulo (Aprecesp) firmaram convênio no final do ano passado.

Segundo Regina Rocha, diretora executiva da Fresp, o convênio prevê ações institucionais e de sensibilização – tanto entre passageiros quanto entre os gestores das administrações  municipais  das  estâncias paulistas – para incentivar o fluxo de turistas nessas cidades. “São 70 cidades em todo o estado, divididas entre balneários (15), climáticas (11), hidrominerais (12) e turísticas (32), com vasta oferta de belezas naturais, culturais, gastronômicas e artísticas. Elas têm potencial para serem mais prestigiadas, e via ônibus é uma das formas possíveis e vantajosas de isso acontecer”, detalha Regina.

“A Fresp e a Aprecesp elaboraram um estudo para apresentar às estâncias ideias para implantação de roteiros diferenciados, tornando-se um atrativo novo a elas. Novos nichos de mercado têm sido trabalhados, como o caso do turismo sensorial, onde as pessoas com deficiência visual estão sendo atendidas em roteiros que foram especialmente desenhados para elas. O papel das entidades é indutor, ou seja, mostramos os caminhos possíveis para que nossos associados decidam como explorá- los”, comenta.

Nesta parceria está prevista a criação e implementação de roteiros diferenciados nas estâncias participantes e com foco em públicos específicos, como estudantes e idosos. A acessibilidade também está na pauta, permitindo passeios aos turistas com necessidades especiais. Segundo Regina, a assinatura do termo já resultou no início de um estudo conjunto para o desenvolvimento de um prêmio destinado a estudantes de Turismo que incluírem em seus projetos de conclusão de curso as estâncias do Estado de São Paulo e o turismo rodoviário. “A intenção é buscar nos jovens novas ideias para trabalharmos melhor nossos destinos. Eles espelham o que as novas gerações querem e temos que estar atentos a esses anseios. Aos idosos, o convênio buscará adesão das cidades a roteiros específicos para esse público, com as adaptações necessárias para atendê-lo plenamente. É o mesmo caso de turistas com necessidades especiais. São levadas em conta acessibilidade até os pontos turísticos, topografia, piso de acesso, adequação da visita aos interesses do público dessa idade e as condições”, esclarece a diretora da Fresp.

Leia  mais  na revista Technibus nº128 no  Acervo Digital OTM

By