Carbuss começa a produzir os ônibus da marca Busscar

 

Os primeiros modelos rodoviários que serão produzidos na fábrica de Joinville (SC), anteriormente pertencente à Busscar, são os VisstaBuss 340, VisstaBuss 360 e VisstaBuss Double Decker

 

A Carbuss Indústria Catarinense de Carrocerias, empresa criada após a aquisição da massa falida da fabricante de ônibus Busscar, localizada em Joinville (SC), por um novo grupo de investidores e acionistas da Caio, começa a produzir no dia dois de maio os seus novos ônibus rodoviários, mantendo o cronograma estabelecido pela empresa, cuja data limite era junho de 2018.

Antes de iniciar a produção dos veículos a empresa recebeu no ano passado alguns pedidos da Viação Paraty, que opera nas cidades de São Carlos, Araraquara e Matão, no interior de São Paulo, e da Viação Osasco, de São Paulo. Os primeiros ônibus com a marca Busscar serão entregues em maio a esses compradores. “Além desses clientes, recebemos encomendas de outras empresas”, disse Maurício Lourenço da Cunha, diretor industrial da Carbuss, sem dar detalhes sobre os novos interessados dos seus produtos.

Os ônibus que serão produzidos na fábrica catarinense são os modelos VisstaBuss 340, VisstaBuss 360 e VisstaBuss Double Decker (dois andares), nomes escolhidos após pesquisa de mercado. “Os novos ônibus rodoviários serão produzidos com tecnologia de ponta. Os veículos terão um design atemporal, com padrão de qualidade e DNA da Busscar seja do estilo, que é a personalidade da marca, ou do acabamento. Os diferenciais são a engenharia, o design, a sofisticação e o conforto”, detalhou o diretor industrial da Busscar.

A meta inicial da Carbuss, segundo Cunha, é de produzir um ônibus rodoviário por dia e aumentar gradativamente a quantidade de modelos conforme a equipe for aumentando o ritmo de trabalho até chegar a três veículos diariamente.

Segundo Cunha, a Carbuss calcula que os investimentos ultrapassarão R$ 100 milhões para adequar toda a estrutura industrial desta nova fábrica, que terá capacidade para produzir entre 12 e 15 ônibus rodoviários por dia, ajustar os equipamentos, preparar a cabine de pintura e introduzir na linha de montagem os ônibus rodoviários atualizados para que sejam competitivos e que tenham o padrão da Busscar na categoria Premium, que é muito desejado pelos clientes.

Até a primeira semana de maio o quadro de colaboradores na fábrica da Carbuss será composto de 500 pessoas, segundo o diretor industrial. “Temos funcionários de todos os níveis e de diversas áreas, de soldadores a profissionais de compras e de engenheiros a designers. A grande maioria é composta por antigos colaboradores da marca Busscar”, esclareceu Cunha. Ele afirmou que o quadro de colaboradores irá crescer de acordo com o aumento da produção.

Com os novos ônibus rodoviários da marca Busscar, a Carbuss pretende ser um forte competidor no mercado brasileiro. A empresa também traça planos para conquistar o mercado internacional. “Vamos atender os clientes de todos os países que tiverem interesse em comprar o nosso produto, porém a maior parte de nossos clientes estará na América Latina, África e Oriente Médio”, disse Cunha.

A TRAJETÓRIA DA BUSSCAR – Com sede em Joinville, Estado de Santa Catarina, a Busscar iniciou suas atividades com a marca Nielson em 17 de setembro de 1946 por dois irmãos Augusto e Eugênio Nielson. Após um ano funcionando como marcenaria, os irmãos foram contratados para reformar uma carroceria de ônibus, dando início ao segmento.

Em 1949 os irmãos construíram uma jardineira totalmente de madeira sobre um chassi Chevrolet Gigante. Em 1956, com a entrada de Harold Nielson, filho mais velho de Augusto, a empresa tomou novos rumos e ingressou definitivamente no segmento de carrocerias de ônibus.

A Carrocerias Nielson logo se tornou uma das encarroçadoras mais notáveis no mercado nacional e internacional, obtendo êxito com o modelo rodoviário Diplomata. Em 1978 a Nielson apresentava um dos primeiro articulados rodoviários brasileiros (modelo Diplomata 2.50 ou 2.60 com motor dianteiro de eixo avançado e central), que ficou em produção por quatro anos.

Em 1981 todas as carrocerias tinham janelas verticais e na segunda metade daquele ano a frente passou a ter seis faróis montados no para-choque e falsa grade ocupando toda a extensão da dianteira. Dois anos depois foram finalmente abolidos os degraus do teto, substituídos por uma inclinação contínua, fato que lhe trouxe o apelido Sete Quedas. No mesmo ano houve o lançamento da Série 300 no lugar dos Sete Quedas.

Em 1989, ao lançar nova família de veículos, a empresa muda sua denominação para Busscar Ônibus. Na década de 2000 a encarroçadora inicia uma grave crise financeira, que culminou no encerramento da produção e a sua falência em 2012.

Em 21 de março de 2017, a Justiça aprovou a compra dos parques fabris da Busscar Ônibus de Joinville, Pirabeiraba e Rio Negrinho, além da marca Busscar, pela Carbuss – Indústria de Carrocerias Catarinense Ltda., que inicia a produção de ônibus rodoviários com a marca Busscar.

Veja também

Por