Transmilênio vai operar com mais ônibus brasileiros

São 700 ônibus da Volvo e 481 da Scania, que começam a ser entregues em 2019, após a conclusão da licitação para renovar a frota de Bogotá, dos quais 60% terão motor diesel e 40% serão movidos a gás natural

A cidade de Bogotá, capital da Colômbia, se prepara para receber 1.181 ônibus brasileiros – 700 unidades da Volvo e 481 da Scania. A aquisição faz parte do programa de renovação da frota de 1.441 veículos que circulam no Transmilênio, principal corredor de ônibus daquele país, considerado uma referência em sistemas BRT (Bus Rapid Transit) para o mundo.

As entregas estão programadas para começar em 2019, com previsão de encerrar em 2020. Do total de ônibus que estão sendo renovados para servir as linhas troncais do sistema, 60% terão motor diesel Euro 5 e 40% motor movido a gás natural. Com o fornecimento dos 700 ônibus – 402 modelos biarticulados e 298 articulados – para a cidade de Bogotá, a Volvo contabiliza o maior contrato de venda de ônibus da década para operar em corredor BRT. Os ônibus biarticulados/articulados B340M têm motor de 340 cv de potência, transmissão Voith Diwa 6 automática e novo sistema de pós-tratamento dos gases de escape que reduz em até 75% as emissões de poluentes.

Esse volume garante à empresa 60% de participação no sistema de transporte da capital colombiana. Segundo Alexandre Selski, diretor de vendas estratégicas da Volvo Bus América Latina, a empresa tem 1.244 ônibus articulados e biarticulados em operação no Transmilênio, desde a criação deste corredor BRT em 2001. Incluindo todas as marcas, são 1.810 ônibus em operação no sistema.

Para a Scania, que conta com 650 ônibus (acima de 16 toneladas) operando em diversos BRT da Colômbia, os 481 ônibus que serão entregues para Bogotá representam a maior venda de modelos urbanos de sua história. A empresa foi a única selecionada a fornecer veículos movidos com combustível alternativo para aquele país. Todos os seus ônibus têm motor Euro 6 movido a gás natural, o que asseguram uma redução de 98% de material particulado (PM), 96% de óxido de nitrogênio (NOx) e 20% de dióxido de carbono (CO2) em comparação com a maioria dos ônibus equipados com motor Euro 2 que estão em operação na cidade.

Do total de ônibus Scania adquiridos pelo consórcio Sistema Integrado de Provisón de Flota (SI 2018), 302 unidades são de modelos biarticulados F 340 HA 8×2, com motor dianteiro de 340 cavalos de potência e capacidade para transportar até 250 passageiros. Os outros 179 veículos são articulados K 320 IA 6×2/2, com motor de 320 cv de potência e capacidade para até 160 passageiros. Todos os veículos serão produzidos na fábrica da Scania Latin America, em São Bernardo do Campo (SP).

“Esta operação confi rma o compromisso da Scania em liderar a transformação para sistemas de transporte mais sustentáveis.

A nossa fábrica de São Bernardo do Campo é parte do sistema de produção global da Scania e está preparada para produzir estes veículos com tecnologia de ponta”, afirma Christopher Podgorski, presidente e CEO da Scania Latin America.

Segundo Juan Carlos Ocampo, diretorgeral da Scania na Colômbia, os ônibus Scania Euro 6 a gás são uma realidade no transporte urbano na Europa e desde 2015 um total de 227 veículos com esta tecnologia opera na cidade colombiana de Cartagena. “As autoridades e operadores colombianos viram que esta tecnologia é ideal para centros urbanos, pois praticamente não polui o ar e faz pouco ruído, uma solução verdadeiramente sustentável”, comenta Ocampo.

“A economia e a sustentabilidade dos veículos, que se traduzem em menores níveis de emissão ambiental e sonora e, com isso, maior qualidade de vida para os cidadãos, foram elementos fundamentais para vencer a licitação”, diz o diretor-geral da Scania na Colômbia.

O campo explica que os novos veículos Scania emitem uma quantidade de partículas ultrafinas (20 mil partículas por cm3) inferior à concentração de partículas ultrafinas encontradas no ar da cidade de Bogotá (150 mil partículas por cm3). “Para comparação, os ônibus que transitam na cidade de Bogotá atualmente emitem 70 milhões por cm3.”

Os novos ônibus Scania Euro 6 a gás começarão a operar no Transmilenio no primeiro semestre de 2019, mas algumas unidades do veículo estão a caminho da Colômbia para serem encarroçadas pela empresa colombiana Busscar, conforme informa André Oliveira, gerente de vendas e marketing de ônibus da Scania Latin America.

“A Scania será responsável por fornecer ao operador não apenas os ônibus, mas também toda a manutenção dos veículos”, afirma.

A Volvo já enviou os seus primeiros ônibus à Colômbia, de acordo com informação do diretor de vendas estratégicas da montadora. Os chassis seguiram por navio até Cartagena e depois foram levados por caminhão para a fábrica da Superpolo, subsidiária da Marcopolo, para serem encarroçados naquele país. “A exigência do Transmilênio é que os ônibus tenham um sistema de filtro de materiais particulados, que reduz em até 96% a emissão de poluentes na atmosfera quando comparado com os ônibus de motor Euro 2 que circulam no país”, esclarece Selski.

“É a primeira vez na América Latina que haverá veículos equipados de fábrica com a tecnologia de filtragem. O ganho ambiental para a população será enorme, já que o filtro tem altíssima efi ciência. O International Council on Clean Transportation (ICCT), classifi ca esta tecnologia como livre de fuligem”, comenta Fábio Lorençon, diretor comercial da Volvo Buses na Colômbia. Fabiano Todeschini, presidente da Volvo Buses Latin America, conta que a Volvo ajudou a desenvolver os principais BRTs da América Latina e inventou o primeiro ônibus biarticulado comercialmente viável do mundo. “São veículos projetados para esses sistemas de grande capacidade, com diferenciais de efi ciência e produtividade”, afirma.

Para se adequar ao grande volume de encomenda de Bogotá, a Volvo está dobrando a capacidade diária de produção de chassis de ônibus na sua fábrica de Curitiba. “Toda a nossa força produtiva será organizada para suprir esse pedido dentro do prazo e com a qualidade esperada, sem prejuízo à produção regular de ônibus para todos os demais clientes”, observa Todeschini.

Os ônibus brasileiros que circularão no corredor BRT de Bogotá ajudarão ainda mais no trabalho de gestão do sistema por conter a mais elevada tecnologia de conectividade.

Os veículos serão equipados com sistemas avançados que monitoram a operação de cada ônibus, permitindo a interação remota com a frota em tempo real. Destaca-se o sistema Fleet Management, que permite o monitoramento por telemetria em tempo real, acessando dados como aceleração, frenagem, velocidade e o consumo de combustível.

Os modelos da Volvo têm ainda o I-coaching, espécie de treinador virtual de motoristas, e o serviço de controle de velocidade por conectividade, que, por meio de geolocalização, limita automaticamente a velocidade máxima do ônibus em pontos críticos de segurança próximos a escolas, dentro de terminais e em outras localidades.

REFERÊNCIA PARA O MUNDO – Criado em 2001, o Transmilênio é considerado uma referência em sistemas BRT para o mundo. Ao utilizar ônibus articulados e biarticulados de forma planejada, representou um salto em qualidade no transporte de passageiros de Bogotá, reduzindo o tempo e melhorando a qualidade do deslocamento dos habitantes da cidade. Inspirado no sistema de vias dedicadas e embarque em nível de Curitiba (PR), Bogotá foi além. “A cidade já incorporou, desde o início, corredores maiores, onde os ônibus podem ultrapassar uns aos outros para maior fluidez”, observa Selski.

Com 137 estações distribuídas ao longo de uma rede de 112,9 quilômetros e nove pontos de parada, o Transmilênio conta com 1.379 ônibus articulados, 230 biarticulados e 88 padron, que transportam aproximadamente 2,5 milhões de passageiros por dia, cobrindo 30% da demanda de transporte público de Bogotá e cidades vizinhas. “Com os novos veículos, mais modernos, seguros, confortáveis e maiores, a capacidade do sistema aumentará em 25%”, diz Silvia Gerber, diretora geral da Volvo Buses Colômbia.

Desde 2012 o Transmilênio funciona como um componente troncal do Sistema Integrado de Transporte Público de Bogotá (SITP).

LICITAÇÃO – A licitação da cidade de Bogotá foi dividida em duas partes: a primeira relacionada ao fornecimento da frota e a segunda à operação. Na primeira etapa, de um total de 31 propostas apresentadas, 17 delas (55%) eram com ônibus Scania com tecnologia Euro 6 a gás, enquanto na segunda etapa (licitação de operação) das sete propostas entregues, quatro delas foram apresentadas com a Scania como fornecedora.

Os clientes que se apresentaram com a marca Scania foram vencedores em três (Suba, Calle 80 e Norte) das cinco áreas concedidas.

A área das Américas, declarada vazia por não atender às exigências técnicas do Transmilênio, voltou a ser licitada no início de novembro. Este é o último lote, de um total de seis, e envolve 260 ônibus, completando a renovação de 1.441 veículos do sistema. Os vencedores serão divulgados em fins de dezembro.

“Quatro operadoras de frota escolheram a marca Scania para esta licitação”, informa o gerente de marketing de ônibus da Scania Latin America. A Volvo participará por meio de três empresas que têm uma grande frota de ônibus em operação em Bogotá.

Veja também

Por