Scania apresenta em Franca ônibus a gás gerado do esgoto Scania apresenta em Franca ônibus a gás gerado do esgoto

O modelo escolhido – K280 6×2, de 15 metros, com piso baixo e capacidade de 130 lugares – é o primeiro do Brasil que pode ser abastecido tanto com biometano quanto com GNV ou a mistura de ambos

Em continuidade ao projeto em defesa de um transporte sustentável, a Scania apresentou em Franca, no interior de São Paulo, o seu ônibus abastecido com biometano, combustível gerado a partir do tratamento de esgoto ou proveniente de outros materiais. O modelo de ônibus escolhido foi o K280 6×2, de 15 metros, com piso baixo e capacidade de até 130 lugares. O motor a gás deste veículo pode ser abastecido tanto com biometano quanto GNV (Gás Natural Veicular) ou ainda com a mistura de ambos.

A demonstração do ônibus da Scania, o primeiro do Brasil abastecido com gás gerado a partir do esgoto, foi feita em parceria com a Empresa de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), numa ação que faz parte das Semanas de Inovação Suécia-Brasil, iniciativa promovida pela Embaixada da Suécia e pela Business Sweden com o intuito de fomentar discussões sobre o potencial do mercado do biogás nas cidades brasileiras. O objetivo é dar visibilidade para o biometano como combustível ambiental e economicamente sustentável, com grande potencial para o Brasil.

A Suécia foi pioneira no uso de biometano para abastecer a frota dos ônibus urbanos do país. “Há décadas a Suécia direciona a maior parte do biogás que ela produz para o transporte público, considerado um dos mais limpos do mundo.

O biogás produzido deriva em sua maior parte do tratamento de esgotos das cidades suecas.

Identificamos no Brasil uma capacidade enorme de produção do biogás que ainda não foi explorada.

Com base nesta premissa, a Suécia decidiu incluir o tema na programação de seu maior evento no Brasil, as Semanas de Inovação Suécia-Brasil”, afirma Elsa Stefenson, gerente de projetos sênior.

O biometano é a purificação do biogás, gerado a partir de dejetos, e leva este nome devido à alta concentração de metano.

No entanto, pelo fato de a matéria-prima ser de origem orgânica e não fóssil, tem mínima emissão de gases poluentes.

O projeto da Sabesp em Franca é o único com produção de biometano para uso veicular gerado a partir do tratamento de esgotos na América Latina. A Estação de Tratamento de Esgotos (ETE) da cidade, onde a companhia estadual vem produzindo, desde abril deste ano, o biometano como combustível para os veículos da frota da empresa no município, trata em média 500 litros por segundo e produz em torno de 2.500 Nm³ de biogás por dia, sufi ciente para substituir 1.500 litros de gasolina comum diariamente.

“O início da operação abre novas oportunidades de negócio para a Sabesp, tendo em vista o potencial de aumento de escala da produção de biogás a partir do tratamento de esgotos”, diz Edison Airoldi, diretor de tecnologia, empreendimento e meio ambiente da Sabesp.

A Scania tem se destacado no cenário mundial com soluções de transporte sustentável.

A multinacional sueca trabalha com propulsores a gás desde a época da Segunda Guerra Mundial e a experiência fez com que a Scania desenvolvesse uma tecnologia que deixa os motores a gás com o mesmo torque dos a diesel.

Recentemente, a empresa anunciou a maior venda de sua história de ônibus urbanos que rodam exclusivamente com GNV e biometano.

A Scania forneceu 481 ônibus para a frota do Transmilênio, sistema de Bus Rapid Transit (BRT) de Bogotá, na Colômbia. Todos os veículos contam com a tecnologia para utilização de gás natural, o que representa uma redução de emissões de mais de 98% de material particulado (PM), 96% de óxido de nitrogênio (NOx) e 20% de dióxido de carbono (CO2) em comparação com a maioria dos ônibus disponíveis na cidade colombiana.

“A Scania vem liderando a transformação para sistemas de transporte mais sustentáveis, em uma visão de longo prazo em que os biocombustíveis, aliados a uma tecnologia de ponta e eficiência energética, serão os grandes protagonistas dessa mudança que já está acontecendo”, comenta Gustavo Bonini, diretor de relações institucionais e governamentais da Scania Latin America.

Por