Vendas de caminhões se mantêm estáveis no primeiro trimestre

Do total de caminhões comercializados no país de janeiro a março, 12.718 são modelos pesados, 7.445 semipesados, 2.769 leves, 2.695 médios e 1.225 semileves

As montadoras de caminhões registraram em março a venda de 10.056 veículos, com crescimento de 24,3% sobre fevereiro (8.091 veículos), mantendo a grande representatividade dos modelos pesados e semipesados, que juntos tiveram 75% de participação, segundo a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

No acumulado de janeiro a março, as vendas de caminhões continuaram estáveis com 26.852 veículos emplacados, 3% acima do mesmo período de 2021, quando foram comercializados 26.077 veículos no país. “É um volume importante de vendas e mostra que, apesar de todas as dificuldades com a falta de semicondutores e de insumos, as empresas têm tentado atender o mercado com volumes adequados”, disse Marco Saltini, vice-presidente da Anfavea.

Do total de caminhões comercializados no país de janeiro a março, 12.718 são modelos pesados, 7.445 são semipesados, 2.769 leves, 2.695 médios e 1.225 semileves.

Produção

Com 13.531 veículos, a produção de caminhões de março ficou 18,8% acima de fevereiro (11.389 unidades) e superou em 8,5% março do ano passado (12.472 caminhões). “Isso mostra que o mercado está demandando e as empresas tentando cumprir com os seus planejamentos. Apesar da falta de componentes e semicondutores, as áreas de logísticas estão trabalhando para que a indústria consiga produzir”, disse Saltini.

No primeiro trimestre deste ano, a produção de caminhões atingiu 34.383 veículos, 3,9% acima dos 33.082 veículos fabricados de janeiro a março de 2021. Da quantidade de veículos que saiu da linha de montagem até março 15.579 unidades são de modelos pesados, 10.695 semipesados, 6.272 leves, 1.491 médios e 346 semileves. Saltini considerou o melhor resultado de produção desde novembro de 2021, com o melhor março e o melhor trimestre desde 2014.

Exportações

As exportações de caminhões tiveram aumento de 40,8% em março, com 2.049 veículos, em comparação aos 1.455 veículos exportados em fevereiro deste ano. No acumulado de janeiro a março, os embarques somaram 4.685 caminhões, 11,3% abaixo dos 5.279 veículos comercializados no exterior no primeiro trimestre de 2021.

Do total de caminhões vendidos no exterior no primeiro trimestre, 2.362 são modelos pesados, 1.072 semipesados, 847 leves, 281 semileves e 123 médios. Em CKD (veículos desmontados), foram exportados 1.151 caminhões de janeiro a março, 29,5% a mais que o registrado em igual período de 2021, quando foram enviados ao exterior 889 veículos.

Ranking

No ranking do setor, a liderança ficou com a Volkswagen Caminhões e Ônibus com a venda de 8.010 caminhões no primeiro trimestre, 10,2% a mais que no mesmo período de 2021 (7.271 veículos). O segundo lugar é ocupado pela Mercedes-Benz, com 6.584 veículos comercializados no país, 12,3% abaixo dos três meses de 2021 (7.506 unidades) e o terceiro pela Volvo, com 5.217 veículos emplacados, 26,5% a mais que entre janeiro e março de 2021 (4.123 caminhões).

A Iveco, quarta colocada, vendeu 2.614 caminhões até março, 77,7% mais que no primeiro trimestre do ano passado (1.471 unidades); e a Scania, que está em quinto lugar, comercializou 1.834 caminhões de janeiro a março, 41,1% abaixo dos três primeiros meses de 2021 (3.113 unidades). A DAF, que ocupa o sexto lugar, vendeu 1.344 veículos, 19,9% a mais que janeiro a março de 2021, cujo volume totalizou 1.121 caminhões.

Por