Tecon Rio Grande registra crescimento nas exportações de vinhos e sucos

Segmento de bebidas apresentou alta de 62% em abril e 8% no acumulado do ano no terminal de contêineres gaúcho administrado pela Wilson Sons

A Wilson Sons registrou aumento na exportação de cargas de sucos e vinhos em abril deste ano pelo terminal de contêineres Tecon Rio Grande. O segmento apresentou alta de 62% em relação a abril de 2021. No acumulado dos quatro primeiros meses do ano, o crescimento foi de 8% na comparação com o mesmo período do ano passado. Os principais mercados consumidores para estes produtos de vinícolas nacionais são Haiti, Países Baixos, Estados Unidos, Japão e China. 

Se avaliado separadamente, o segmento de sucos apresentou, em abril, aumento de 123% nas exportações pelo terminal de contêineres gaúcho e de 9% nos primeiros quatro meses deste ano. Já a exportação de vinhos cresceu 120% no último mês e 79% no primeiro quadrimestre de 2022 pelo Tecon Rio Grande. 

“Os resultados positivos para os primeiros meses do ano atestam a relevância do valor agregado dos produtos que integram o segmento de bebidas. O ano de 2022 está confirmando o interesse de destinos atraentes no mercado internacional por sucos e vinhos brasileiros. O segmento mostra resiliência em um cenário desafiador para o transporte comercial marítimo e logística portuária”, destaca Paulo Bertinetti, diretor presidente do terminal. 

Os números positivos para exportação de vinhos e sucos nos quatro primeiros meses deste ano reforçam a tendência de alta registrada em 2021. Dados da União Brasileira de Vitivinicultura (Uvibra) mostram que as exportações de vinhos brasileiros cresceram 83,25% no ano de 2021, em comparação com 2020. Pelo consolidado do ano, foram 8.132.342 litros, ou seja, 10,8 milhões de garrafas, que saíram do Brasil nos 12 meses e chegaram a 53 países, com destaque para o Paraguai, Haiti, Rússia, China e Estados Unidos. Se for somado o volume de vinho, espumante e suco de uva, o total ultrapassa os 12.437.524 litros contra 6.586.262 do ano passado. O maior crescimento percentual foi na categoria de suco de uva, com 144,59% de incremento, chegando a 3.369.939 litros.

Para a Uvibra, a boa performance mostra o reconhecimento da qualidade dos produtos nacionais, o câmbio favorável e ações em feiras, missões comerciais e eventos promocionais. Outro ponto favorável é a diversidade de uvas e de estilos de vinhos e espumantes produzidos no Brasil, graças às dimensões continentais do país e de uma diversidade de terroirs única no mundo. Hoje, a produção brasileira está presente em 26 regiões de dez estados. Para este ano, o setor está muito otimista, ainda mais depois da safra 2022 ter encerrado com êxito frente a qualidade das uvas, mesmo diante da forte estiagem registrada nos últimos meses.

“Temos um portfólio de vinhos e espumantes que agradam aos mais variados paladares em todos os continentes. Temos espumantes e vinhos nobres mais elaborados, assim como vinhos e espumantes mais descontraídos. Essa facilidade em beber é que tem encantado outras culturas”, diz o presidente da Uvibra, Deunir Luis Argenta.

Por