Primeiro cargueiro da Azul já voa nas rotas de alta demanda

O novo modelo 737-400 F, produzido pela Boeing, tem capacidade para transportar até 20 toneladas de carga ou 11 paletes e será utilizado em rotas com alta demanda no mercado brasileiro e no exterior

A Azul Cargo Express, unidade de cargas da Azul Linhas Aéreas Brasileiras, colocou em operação o seu primeiro avião cargueiro, que tem capacidade para transportar até 20 toneladas de carga ou 11 paletes. O novo modelo 737- 400 F, produzido pela Boeing, será utilizado em rotas com alta demanda, passando pelas bases de operação de Campinas (SP), Recife (PE) e Manaus (AM). Outras cidades como Fortaleza (CE), Belém (PA) e Rio de Janeiro (RJ) também devem receber os voos do cargueiro.

A Azul informa que, com a certificação para levar carga paletizada, a aeronave dará mais flexibilidade para a companhia definir as estratégias de malha, fortalecendo a capacidade de ofertar soluções customizadas para os clientes, além de ampliar os negócios da empresa.

Para as suas operações de carga, a Divisão Express da Azul utiliza atualmente o porão das 120 aeronaves comerciais que a companhia mantém em sua frota. São 66 E-Jet, 33 ATR, 14 A320neo e sete A330, com idade média de 5,6 anos. Esses aviões têm capacidade para levar de 0,8 a 3,5 toneladas de carga.

A segunda aeronave cargueira estava prevista para chegar ao Brasil até o fim de outubro. Segundo a Azul, os aviões cargueiros Boeing 737 foram escolhidos por conta do baixo custo operacional e pelo histórico de confiabilidade desse modelo para o transporte de cargas. Com mais espaço e versatilidade, a companhia pretende movimentar 40% a mais de carga neste ano em comparação a 2017, quando transportou 40 mil toneladas no mercado doméstico, assegurando 11,5% de Market share, e 15 mil toneladas nas suas rotas internacionais. Com isso, espera ampliar a oferta de serviços para regiões e rotas de maior volume.

Das mercadorias transportadas pela Azul Cargo no mercado brasileiro em 2017, os destaques foram livros e produtos eletrônicos e o maior volume foi concentrado nas cidades de Manaus (AM), Campinas (SP) e Recife (PE). No exterior, o principal produto movimentando no ano passado foram frutas destinadas para as cidades de Orlando e Fort Lauderdale, na Flórida (Estados Unidos) além de Lisboa, Buenos Aires e Montevidéu.

Na importação, o produto que teve maior demanda em 2017 foram peças automotivas para as indústrias da região metropolitana de São Paulo. “O novo avião cargueiro será fundamental para produzir novas oportunidades de negócio para a empresa”, disse Izabel Reis, diretora da Azul Cargo Express, durante a apresentação da aeronave às autoridades, tripulantes e jornalistas no aeroporto de Viracopos, em Campinas.

“Os aviões cargueiros vão proporcionar mais flexibilidade para definir a malha de acordo com as necessidades dos nossos clientes e contribuirão para oferecermos novos serviços, como o fretamento. Esperamos, com isso, aprimorar nossa atuação e continuar oferecendo um produto diferenciado e extremamente eficiente, contribuindo para a satisfação de quem contrata nosso serviço de cargas”, completou a diretora.

Para o controle das suas operações de cargas, a Azul Cargo mantém cerca de 60 funcionários, que trabalham na área administrativa e na torre de controle. Com a estratégia de viabilizar as suas operações de carga, a empresa investiu nos últimos 12 meses cerca de R$ 5 milhões, aplicados principalmente em tecnologias e infraestrutura.

A Azul Cargo Express iniciou suas operações em 26 de agosto de 2009, com o transporte de mercadorias entre os aeroportos de Viracopos, Fortaleza, Recife e Salvador. Hoje está presente em mais de 3.200 municípios brasileiros. Com a utilização da capacidade dos porões das aeronaves da Azul, a divisão de carga desenvolveu o seu modelo de negócio com foco nas remessas de cargas e encomendas expressas. Desde novembro de 2009 oferece o serviço porta a porta de entregas expressas. A rede Azul Cargo Express atende mais de 90 aeroportos e tem 200 lojas no país e no exterior.

Veja também

Por